PSP-Parede, um coio de ociosos e incompetentes

A situação que o nosso leitor reporta, diz respeito a estacionamento ilegal na Rua Dr Camilo Dionísio Álvares, junto ao British Council da Parede. Todos os sábados pelas 13h, hora de saída das aulas, na Rua Dr. Camilo Dionísio Álvares, o estacionamento ilegal nos passeios é aquele que mostram as imagens. Trata-se da zona onde se situa a escola Bristish Council da Parede. Os pais portugueses, entenda-se, não demonstram qualquer respeito pelo espaço pedonal; e a polícia portuguesa, entenda-se, não demonstra qualquer respeito nem pela lei, nem pelos contribuintes que lhes pagam o salário mensal. Devia-se respeitar o étimo do termo e começar a pagar aos agentes em sal e não em euros, e assim talvez demonstrassem um pouco mais de respeito pelos utilizadores vulneráveis do espaço público.

Já por mais de uma vez que o nosso leitor se queixou por telefone para a esquadra da Parede, sem qualquer resultado até agora: nunca nesse local a PSP faz cumprir as regras. Numa das situações o agente que atendeu o nosso leitor, sugeriu que enviasse um email apresentando a situação, o que fez, com esperança de ter, dessa vez, resposta e ação da PSP. Todavia nada! Também já pediu a intervenção do município de Cascais para impedir esta situação à porta de uma escola. A resposta é a que podem verificar abaixo: na prática dizem para se queixar à entidade fiscalizadora, PSP, uma vez que se trata de situações ilegais.

A situação na seguinte fotografia é perigosa e um atentado à integridade física das pessoas, reparem como a mãe com um carrinho de bebé (um utilizador vulnerável ao abrigo do Código da Estrada) se arrisca a ser atropelada porque um carro está estacionado em cima do passeio. Vária jurisprudência dir-nos-ia que caso esta mãe fosse atropelada ou mesmo morta pelo carro que lhe faz uma razia, a culpa seria dela, porque está a transitar na rodovia. Todavia o carro em cima do passeio, por inação da PSP, não é autuado e assim fica durante horas ou dias sem que a PSP faça alguma coisa. Ultrajante!


Resposta do município de Cascais

"​Na sequência do seu requerimento cumpre-nos transmitir que, de acordo com a informação prestada pela Divisão de Trânsito e Mobilidade, é uma via de dois sentidos, com passeios dos dois lados. A largura da faixa de rodagem não permite a criação de bolsas de estacionamento;

- inserida urbano de baixa densidade;

- a norte localiza-se o caminho de ferro e a sul equipamento escolar privado;

- de acordo com a Lei nº 72/2013 de 03/09:

1. alínea c) artº 50º – É proibido o estacionamento “Nos lugares por onde se faça o acesso de pessoas ou veículos a propriedades, a parques ou a lugares de estacionamento”,

2. alínea f) art 49º - É proibido o estacionamento “Nas pistas de velocípedes, nos ilhéus direcionais, nas placas centrais das rotundas, nos passeios e demais locais destinados ao trânsito de peões”.

- via de hierarquia viária de 4º nível (rede de distribuição local ou de proximidade).

Face ao exposto não deverão ser atribuídas barreiras físicas, uma vez que em termos legais esta situação se encontra prevista.

Este registo deverá ser encaminhado para às entidades fiscalizadoras do trânsito​"​.


A resposta do município de Cascais é sensata e exprime o óbvio: não se podem colocar lugares de estacionamento em todo o espaço público sob pena de convertermos as cidades em betão e lugares de estacionamento; ademais a entidade fiscalizadora de estacionamento ilegal é a PSP e não a câmara. A culpa é sim desse coio e antro de preguicentos e ociosos algures sentadas numa esquadra na Parede, que apesar de receberem mensalmente montantes pecuniários dos nossos impostos, não levantam o cú e a peida da cadeira se locomovem ao local para autuar os respetivos infratores.

Sem comentários:

Publicar um comentário