Rua das Flores, no Porto, reabre só para peões!

O Passeio Livre, dá os sinceros parabéns à Câmara Municipal do Porto e ao seu novo presidente, Rui Moreira, por - numa lógica contrária ao que é comum em Portugal e muito particularmente na cidade do Porto - ter optado por reabrir a Rua das Flores apenas para peões, quando anteriormente tinha tráfego automóvel. Os casos práticos, como os das ruas Augusta ou Duque d'Ávila em Lisboa, demonstram claramente que a restrição a apenas peões de certas ruas ou artérias, traz mais gente para essas mesmas ruas, que por sua vez ocupam as esplanadas e dinamizam a economia local, melhorando também os negócios do comércio tradicional. A lógica é simples: "quem passa de carro não pára para comprar".

A pedonalidade restrita das ruas, torna também os espaços mais humanos e acolhedores providenciando um espírito mais "bairrista" ao local, incrementando também a qualidade de vida dos habitantes, com o decréscimo da poluição sonora e atmosférica e a atribuição do espaço público, não para parques de estacionamento ou rodovia, mas para infraestruturas públicas de lazer, como parques infantis, pequenas praças, logradouros ou jardins.

 
 
Pode-se dizer, que ao contrário do que foi a "reabilitação urbana" das cidades portuguesas nos últimos 30 anos, onde as obras se limitavam a diminuir passeios, a construir parques de estacionamento e a colocar melhores pavimentos de alcatrão, a verdadeira reabilitação urbana é esta; é aquela que devolve a cidade às pessoas!

Só à lei do pilarete!

Em Miraflores, Algés,  Oeiras... qualquer passeio sem pilarete, é rapidamente ocupado com carros. Há muito lugar livre, mas como não ficam à porta de casa...

Montepio, por causas solidárias!


O Banco Montepio faz jus, como pode ser visto nas suas páginas promocionais, em defender causas nobres e solidárias. Convém é, antes de se auto-intitular como uma entidade que defende essas mesmas causas, tentar impor nos seus colaboradores práticas coerentes com a referida política do banco.

Esta carrinha propriedade do banco Montepio que se situava, no dia 20/03/2014 na Avenida Elias Garcia em Lisboa, totalmente sobre o passeio, ironicamente tem o sinal de pessoas com mobilidade reduzida, mas não deixa de colocar seriamente em causa a segurança dessas mesmas pessoas com mobilidade reduzida! A banca é pródiga neste tipo de paradoxos, e o Montepio no campo da mobilidade não foge à regra!

Em Setúbal, não são só os automóveis...

Srs " Passeio Livre"
 
Tenho acompanhado com muita atenção e satisfação pelo vosso trabalho excecional de cidadania. Na parte que me toca tenho também procurado na minha zona de residência em Setúbal reclamar junto da Câmara Municipal sobre situações aberrantes como a foto em anexo ilustra. Passam por ali diariamente mães com carrinhos de bébé a caminho da Farmácia logo adiante. Por onde passam? Pela rua ao lado dos carros. Da Câmara a resposta é....zero!
 
Cumprimentos e bem hajam
 
[Contribuição recebida por e-mail]
 
nb. a foto situa-se no início da Av. Pedro Álvares Cabral junto à Praça de Portugal.



Depois dos cachorros, hambúrgueres

Há uns dias tínhamos aqui neste local uma carrinha de cachorros com esplanada e tudo ( http://www.passeiolivre.org/2014/03/hot-dog-haters_5.html?m=1 ) . Publicámos aqui a imagem e alguém deve ter achado que o problema era não gostarmos de cachorros, então agora dão-nos hambúrgueres!!! 

O que não gostamos é de passeios ocupados! 

As manhãs da Rua São Salvador da Baía & Rua de São Paulo, em Oeiras

Não é de estranhar que muitos atropelamentos acontecem nas passadeiras. 


Na junção da Rua de São Paulo e Rua São Salvador da Baía as condições para ocorrer um atropelamento são ideais, sendo comum o estacionamento abusivo sobre os passeios, agravado pela velocidade excessiva dos carros que descem a R. São Salvador, e os que viram à direita para cima da passadeira que atravessa a R. S. Paulo.

No fim de contas o ambiente de insegurança e deterioração do meio urbano prevalece, e quem paga - com a própria vida - é quem nenhuma culpa tem: o peão.

Pavimento das ciclovias também não é para automóveis...

Em Oeiras, não há via que não seja susceptível de ser ocupada parcial, ou totalmente, por automóveis. Apesar de poucas e más, existem algumas ciclovias em Oeiras.

A das fotografias, na Quinta das Palmeiras, é uma daquelas anedotas que um qualquer autarca de intelectualidade obesa resolveu criar há alguns anos, num espasmo de preocupação com as bicicletas. Provavelmente, o objectivo não seria outro que retirá-las do caminho dos automóveis, de que este concelho tanto gosta, e com acérrimo fanatismo defende.

Naturalmente, ou não estivéssemos em Portugal e, mais particularmente, em Oeiras, a ciclovia foi ocupar o passeio e, como se isso não bastasse, não se poderia negar o acesso dos automobilistas a tanto espaço livre para estacionar.

De manhã e à tarde, o movimento é intenso, com os pais que vêm depositar e levantar as crianças à escola. De noite, serve como estacionamento particular de quem acha que deve ocupar e, consequentemente danificar, o espaço público com o seu automóvel. O resultado é óbvio, com a clara destruição do pavimento da ciclovia e, menos perceptível nas fotografias, um autêntico ondular da calçada, mais calcada nuns pontos do que noutros.

Agora que se fala tanto na calçada portuguesa, e como é imprópria para pavimento de passeios, talvez valha a pena referir que, se os passeios continuarem a servir para estacionamento de automóveis, é bom que passem a construir os passeios com betão armado, para resistirem a esse tipo de utilização...









Hot Dog Haters


O estacionamento em cima do passeio instituicionalizado... A CML queixa-se do estacionamento em cima dos passeios mas autoriza estes disparates!


Albergaria-a-Velha

Pode-se eventualmente pensar que a praga do estacionamento ilegal é um fenómeno urbano, mas não é; é acima de tudo endémico! As fotos em apreço foram-nos enviadas por um leitor de Albergaria-a-Velha, e demonstram claramente que até em localidades mais pequenas, onde o espaço é mais vasto; o estacionamento ilegal continua a ser uma constante. As fotos revelam também que o peão é o último a ser considerado no paradigma da mobilidade em Portugal.

As imagens são da Escola Secundária de Albergaria-a-Velha, do Centro Coordenador de Transportes, da Rua Américo Martins Pereira, da Rua do Vale, da Rua D. João, da Rua António Fortunato Pinho, da Rua Serpa Pinto e da Rua Eng. Brito Rebelo.

Apenas de salientar que a circulação junto do Centro Coordenador de Transportes se faz em um sentido e existem bastantes lugares de estacionamento, quase sempre disponíveis, com exceção de algumas horas de alguns Domingo à tarde, derivado da afluência de passageiros para os "Expressos".