Mota bloqueada pela EMEL

30-06-2012, 15:42, Terreiro do Paço 
Os casos de motas bloqueadas são deveras escassos, mas também acontecem. Os meninos das motas (e em parte também os das bicicletas), acham, que por terem duas rodas podem estacionar e circular livremente e à Lagardère, em espaço público destinado exclusivamente a peões. O Passeio Livre, tem fortes razões para criticar a EMEL, mas também sabe congratulá-la quando faz um bom trabalho: foi este o caso retratado na foto tirada no Terreiro do Paço.

Obrigado EMEL!

Av. Almirante Reis, Reino do Caos e da Impunidade selectiva

A
B
C
D
E
F
G
 H
.
Estas fotos foram todas tiradas de seguida (na Av. Almirante Reis, em Lisboa, numa manhã de uma 5ª-feira de Junho), e cada uma merece um comentário próprio:

Foto A - A Polícia Municipal - e muito bem! - bloqueou estes dois carros, indevidamente estacionados em lugar destinado a cargas e descargas.
Fotos B, C e D - Estas duas carripanas estiveram assim o tempo que os seus condutores quiseram, sem que nada lhes sucedesse. É a famigerada malta do "estamos a trabalhar!", para a qual há uma tolerância ilimitada, a que corresponde uma impunidade absoluta.
Foto E - O cavalheiro parou em pleno espaço da Carris e deixou-se ali estar, dentro do carro, o tempo que quis e lhe apeteceu. Esta esperteza-saloia dá sempre resultado: se visse aparecer alguma autoridade, desandava dali, e nada lhe sucedia.
Foto F - Num lugar bem conhecido pela impunidade garantida e ilimitada: a Praça do Chile, junto ao Chimarrão.  Também aqui, um profissional-da-treta teve o cuidado de não colocar o pilarete que podia impedir o que aqui se vê, e que é uma cena de todos os dias.
Foto G - O condutor, em princípio, não está a fazer nada de mal, pois os pilaretes são amovíveis, pelo que o acesso ao passeio é, embora limitado, autorizado.
Foto H - No seguimento da anterior: vendo melhor, os buracos para os pilaretes estão atafulhados com lixo, pelo que os mesmos não se vêem nem sequer já devem existir...

Genial!

Com dois dos pilaretes devidamente entortados (um para a esquerda, outro para a direita), já este condutor pode tirar a carripana mais "à larga"...

Critérios e "descritérios"

Em Lagos, as proporções que atinge o escândalo do estacionamento em cima dos passeios só tem comparação com o que sucede em Lisboa - mas com a agravante de, na cidade algarvia, não faltar estacionamento gratuito (como sucede na zona onde estas fotos foram tiradas).
Pode, pois, dizer-se que o condutor do carro estrangeiro que se vê na 1ª imagem teve "muito azar", até porque as fotos seguintes foram obtidas pouco depois, e a poucos metros de distância dali (a foto do Mercedes bloqueado foi, inclusivamente, tirada do local onde se vê a carrinha branca).
Escusado será dizer-se que, a estes portugueses, nada aconteceu - como nunca acontece nada a quem, em toda aquela zona, estaciona da forma que se vê, 24h por dia, 7 dias por semana.

Uma campanha da Câmara Municipal de Lisboa...

De há uns meses a esta parte tem sido possível ver-se, todas as quartas-feiras de manhã (à porta do Hotel Roma, em Lisboa), cenas como estas, em que carrinhas da CML se comportam, em termos de ocupação do passeio, ainda pior do que os taxistas daquela praça.
NOTA: as fotos são de Março, Abril, Maio e Junho de 2012.

Uma campanha da Câmara Municipal de Aveiro: Somos todos peões

Iniciou recentemente uma campanha promovida pela Câmara Municipal de Aveiro contra o estacionamento sobre o passeio: Somos todos peões!

A população é convidada a colocar sobre os carros nos passeios esta pegada:



Apoie a campanha ao divulga-la!
Informe os autarcas onde mora.

Estacionamento ilegal em Miraflores e Algés


Transcrevemos na íntegra uma missiva enviada por um dos nossos contribuidores, para várias entidades responsáveis pela gestão do espaço público em Miraflores e Algés.

____________


Bom dia,
Mais uma vez, e decorridos 2 meses desde o envio do meu e-mail original, venho por este meio perguntar o estado desta situação. Quer dizer, já recebi várias respostas "tipo" por parte da Polícia Municipal, da PSP e da CMO, onde dizem já estar a tomar as medidas necessárias, mas a situação mantém-se igual (como pode ser verificado pelas fotografias que hoje efectuei e envio em anexo).
Todos os dias ando por Algés e Miraflores, e a única fiscalização que vejo é efectuada pela Parques Tejo, que sempre que um veículo está indevidamente estacionado num lugar pago (ou seja, se não pagou), rapidamente se prestam a imobilizar a referida viatura, e a passar a respectiva multa. Perante isto, estacionar em cima do passeio, em cima ou antes de passadeiras, ou em outros locais ilegais, desde que fora do âmbito da fiscalização da Parques Tejo, é visto por muitos como a solução para quem não quer pagar parquímetro (isto porque são raras as situações onde os lugares com parquímetro estejam esgotados).
Mais grave se torna o estacionamento junto às escolas, onde o caos é ainda maior, onde o exemplo dado às crianças é o pior, e onde as mesmas estão mais vulneráveis a serem atropledas. Por exemplo: perto do Jardim de Infância Luísa Ducla Soares, existe um parque de estacionamento com muitos lugares livres (a menos de 50m) - mas todos os dias, inúmeras viaturas insistem a estacionar mesmo em frente do Jardim de Infância, quer seja em cima do passeio, quer seja junto do portão - ou seja, na paragem de autocarros.
Todos os dias vejo viaturas da Polícia Municipal e da PSP a circularem nestas zonas, a passarem pelos automóveis mal estacionados, e sem nada fazer - mas das três uma: ou estão realmente ocupados noutra missão, ou não há mesmo vontade em resolver, ou então já acham tão normal esta situação que nem reparam nela. Quero acreditar que é a primeira, pois nenhum das outras opções me parece aceitável por parte de quem esperamos que faça cumprir a lei e defenda os cidadãos.
Com os meus melhores cumprimentos,

__________________


O Passeio Livre refere que é penoso e na maioria dos casos completamente infrutífero, contactar com as entidades camarárias no que concerne ao estacionamento ilegal. Cidadania ativa, como colagem de autocolantes, pode revelar-se bem mais proveitoso, pois sensibiliza os automobilistas para este paradigma.

Desabafo de um contribuidor do Barreiro




Caros membros do Passeio Livre

(...)

Devo confessar-lhe que nos meses iniciais andei muito motivado e colava muitos autocolantes, mas desde há algum tempo para cá que simplesmente estou cada vez mais desmotivado. É uma guerra "impossível" de ganhar. E quando se luta sozinho é desgastante. Ainda se visse que existem mais pessoas a lutar pelo mesmo no Barreiro. Mas não. Até já me chateei com vizinhos, com desconhecidos, etc e até as outras pessoas ficam do lado do automobilista mal estacionado, com argumentos fantásticos como o típico "não tem o direito de fazer a colagem, tem é que chamar a policia..."
Quando um dia se colam 3 ou 4 num local, no dia seguinte aparecem outros carros ou em quase todos os casos, os mesmos carros, indiferentes ao aviso. Em algumas ruas, vejo que cada vez há mais ocupação dos passeios, a situação é cada vez pior e parece-me que sou a única pessoa a tentar fazer alguma coisa.
A verdade é que cada vez mais é perfeitamente aceite estacionar no passeio. Em cima das passadeiras já é menos, mas ainda vai aceite (foi só por 5 minutos...etc).

Já contactei com a Policia, por e-mail, telefone, e até pessoalmente, mas a conversa é sempre a mesma, que multam mas não podem fazer mais nada. Rebocar carros está fora de questão, porque "já viu se fossemos rebocar todos os carros que aqui estão estacionados, isso é muito radical!"

A Câmara Municipal do Barreiro, a única entidade que poderia actuar na diminuição do estacionamento selvagem, responde-me com os e-mails da praxe só pra ver se a gente se cala, a dizer que vão reforçar a fiscalização. Quando sugeri a colocação de pilaretes em algumas zonas de maior afluência de peões, como o Terminal Ferro-Fluvial, que está na situação caótica que se podem ver nas fotos, diz que os serviços competentes iriam analisar a questão. Isto há 2 ou 3 meses. Ou seja, cai tudo em saco roto e está tudo cada vez pior.

Envio algumas fotos do que já se sabe acontece um pouco por todo o lado, mas aqui no Barreiro também

Cumprimentos,

__________________

Como resposta o Passeio Livre refere que a guerra nunca está perdida, Deve batalhar-se a cada dia pelo melhoramento da qualidade de vida nas nossas cidades, com cidadania ativa e com muitos autocolantes em latas abusadoras. Em lugares mais críticos devemos pressionar as entidades camarárias para que coloquem pilaretes no passeio. Não desista, continue com as contribuições.

Carro da CML em cima do passeio

Mais uma contribuição

"A situação ilustrada na imagem ocorreu na Rua Lúcio de Azevedo.  Um carro da CML estacionado em cima do passeio. As duas pessoas que aparecem na imagem são os ''técnicos'' da câmara. É bom que a CML saiba quem são os trabalhadores que desrespeitam a lei"

Os funcionários da CML não têm qualquer respeito pelo Código da Estrada, no que concerne ao respeito pelos peões.

Passeios na placa central da Alameda para os peões, Lisboa



Transcrevemos na íntegra mais um email de um cidadão indignado, com a presente usurpação do espaço pedonal, por parte das viaturas automóveis.

From: [email protected]
To: [email protected]
CC: [email protected]; [email protected]; [email protected]ail.telepac.pt; [email protected]; [email protected]; [email protected]

Exmo. Senhor Presidente,

Dr. António Costa

Aproveitando as notícias que dão conta da intenção da Câmara Municipal de Lisboa em reabilitar, mais uma vez, a Fonte Luminosa da Alameda D. Afonso Henriques, vimos pelo presente apelar a V. Exa. para que no âmbito dessa empreitada, que desejamos eficaz, a Câmara devolva os passeios aos peões, em respeito não só pelo projecto original de espaço público daquela alameda, mas também por respeito ao que se entende actualmente por mobilidade; conceito que a Câmara afirma partilhar.

Nesse sentido, defendemos a pedonalização total da placa central, uma vez que o passeio do seu sector poente se mantém ocupado com parqueamento gerido pela EMEL. Julgamos não fazer sentido que haja parqueamento  automóvel em cima dos passeios arborizados, que foram criados para usufruto dos peões; ainda por cima sobre um parque de estacionamento subterrâneo de acesso público, o que consideramos ser um absurdo, nada consentâneo com a Mobilidade a que nos referimos no parágrafo anterior.

Aproveitamos ainda para lançar a debate a recolocação do parque infantil que existe na Alameda, cuja localização actual julgamos ser igualmente um absurdo: ao Sol e ao meio da placa central nascente, desvirtuando  totalmente a simetria e estética da Alameda. O parque infantil deve ser colocado num dos troços laterais cobertos por árvores!

Na expectativa, subscrevemo-nos com os melhores cumprimentos

Carlos Leite de Sousa, António Branco Almeida, Luís Marques da Silva Alexandra Maia Mendonça, Nuno Caiado, Jorge Pinto, Fernando Jorge, Nuno Franco, João Leitão e Diogo Moura


____________________

O Passeio Livre partilha naturalmente do ponto de vista destes cidadãos. Todas as propostas que visam dar espaço ao peão, são favoralmente acolhidas pelo Passeio Livre, ainda para mais numa zona com uma elevada oferta de estacionamento subterrâneo.