Ziguezaguear em Entrecampos

Parece que entrecampos é uma zona crítica de infractores...

Foto tirada na Av. da República e enviada por um leitor morador em Entrecampos.
Será da comissão de moradores? (Ver caixa de comentários do post anterior)

27 comentários:

  1. Tirando o aspecto estético porque fica feio um carro em cima do passeio, o carro da fotografia não está impedir os peões de andar no passeio de mão dada, lado a lado, felizes e contentes, como se pode ver na foto o casalinho de namorados.

    Julgo que até há espaço entre o carro e o prédio para passar quatro pessoas lado a lado.

    É sempre reprovável esta atitude do dono do carro.

    ResponderEliminar
  2. advogado do Diabo? não percebi...

    ResponderEliminar
  3. Qual atitude do dono do carro? Estacionar no passeio ou deixar "tanto espaço" para os peões?

    ResponderEliminar
  4. Há passeios onde é permitido estacionar com regras, para tal deve estar assinalado.
    Aqui não deve ser o caso. É tão proibido estacionar em cima do passeio pelo Código da Estrada, como o é pisar o traço contínuo ou circular com mais velocidade do que o permitido ou em qq outra infracção ao Código.
    O art. 49º-1-f)proibe o estacionamento nos passeios e a multa pode ir até aos 300€.
    É proibido!!! Não há desculpas, penso eu ...

    ResponderEliminar
  5. A comissão de Moradores de Entrecampos é uma associação registada, com nomes próprios e inclusivé uma sede. Ao contrário de um bando de idiotas que atras do anonimato tenta defender alguma respeitabilidade através de actos ilicitos.
    O aviso fica feito: continuem as actividades radicais e vão ver o autocolante que levam na testa!

    P.S. Então jovem? Doi muito o focinho partido? Ainda hoje tive de andar a limpar o teu sangue da mala do meu carro!

    ResponderEliminar
  6. Duvido muito que esse acto covarde seja verídico ou sequer legitimado por uma comissão de moradores. Que eu saiba em Entre Campos não há barracas e até nestas existe mais civismo.

    Em todo o caso, podemos marcar uma conversa com essa tal comissão ou com este corajoso bandalho. Já que têm sede própria e pessoas com nome pode ser a PSP a definir os termos da conversa.

    ResponderEliminar
  7. Raciocínio curioso o do primeiro anónimo: imagine que o seu vizinho acha que você ainda tem algum espaço em sua casa e decide colocar lá mais alguns móveis porque acha que você ainda poderá fazer a sua vida feliz e contente.

    O idiota frustrado que inventou uma comissão de moradores e uma agressão deve ser levado aqui com uma camisa de forças...

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  12. Apenas aconselho a quem se sente incomodado pelos atrasados mentais que colocam o carro em cima dos passeios que bombardeie a camara e policia com emails e telefonemas. eles acabam sempre por fazer alguma coisa. lembro-me da av. do brasil que de um dia para o outro ficou sem carros no passeio. agora voltaram e os meus bobardeios já recomeçaram.

    ResponderEliminar
  13. Apoio e reforço o Anónimo 11:05. Se, paralelamente à campanha de colagem de autocolantes, todos os dias as polícias e as autarquias receberem cartas, emails (acompanhados de fotografias) e/ou telefonemas, acabarão por fazer algo. É essa também a minha experiências. Lembro que a Amnistia Internacional tem conseguido a libertação de presos e a comutação de penas utilizando como "arma" campanhas de cartas.

    ResponderEliminar
  14. Ao anónimo das 22:52
    Claro que toda aquela bazófia de teres espancado a pessoa que te colou um autocolante na carroça não passa disso mesmo: BA-ZÓ-FIA, mas se essa treta tivesse algum pingo de credibilidade, então o nome seria ainda mais vergonhoso e em vez de bazófia seria CO-BAR-DIA. Sim, porque só um energúmeno demente e cobarde é que se julgaria no direito de castigar alguém que o quis alertar para o vandalismo que é obstruir um passeio com um monte de latas, obrigando os peões a circularem pela estrada, com risco da própria vida!
    Qual será mais perigoso? Descolares um autocolante do vidro da carroça ou teres que utilizar a estrada, que animais como tu querem utilizar como pista de corridas? É preciso ser-se muito besta para fazer um comentáro como o que fizeste! Que óptima oportuniddae que perdeste de estar calado!

    E que tal alguém partir-te o focinho contra o passeio que vandalizaste? Era uma boa maneira de apaziguar toda essa pseudo-bravura, não era? Confesso que teria todo o gosto em lá ir limpar o sangue!
    Faísca

    ResponderEliminar
  15. Até dói!

    Dói, dói ...

    ResponderEliminar
  16. Se fosse cego e esbarrase nesse carro que teve tanto cuidado para deixar espaço para os peões usarem o que restou de passeio, tentava ultrapassá-lo pela direita ou pela esquerda?

    ResponderEliminar
  17. Perdão, mas por ser cego não faz dele burro. Não sei qual é a vossa experiência com invisuais, mas para dramatizar com parvoíce mais vale estar calado.

    Logo a seguir ao veículo está um sinal da carris, um poste de iluminação e uma paragem de autocarros. TODOS ELES são excepção estorvam e a paragem està a menos de 15m do carro. É então aí, na paragem de autocarro, que o cego se desvia para a estrada?

    ResponderEliminar
  18. (correcção) *sem excepção

    ResponderEliminar
  19. Encurta-se o passeio em metade, o que é mais do que o suficiente para um casal passar lado a lado como comprovado na foto, e assim a paragem de autocarros não estorva ninguém e criam-se umas dezenas de lugares. Aí sim, ajuda-se a resolver o problema da falta de estacionamento.

    ResponderEliminar
  20. Caro Eduardo Neto
    Aplaudo o teu reconhecimento de que há um problema e é preciso encontrar soluções para o resolver, que - além de ilegal - não é correcto passar a batata quente da pretensa falta de estacionamento para o peão.
    Também aplaudo o facto de teres descortinado, no meio desta barafunda, outros problemas que afectam a mobilidade das pessoas, como sejam a colocação das paragens de autocarros, dos sinais de trânsito, dos postes de iluminação, dos contentores para o lixo, dos ecopontos, das caixas de controlo dos semáforos, etc. A lista é infindável. Eu digo que descortinaste porque não viste mais fundo, não viste a raiz do problema. A raiz do problema é a lata. Esse bichinho tão querido chamado automóvel. É mesmo um bicho querido, tão querido que conheço pessoas que têm dificuldade em dar comida decente para os filhos, mas não dispensam a utilização da viatura para irem ao café da esquina.
    A sociedade pensa em função da lata, presta vassalagem ao automóvel. Qualquer coisa que seja necessária (desde o caixote do lixo até ao semáforo) é implantada no passeio. Quase sempre de forma cega, sem pensar vez que seja na mobilidade de quem não circula de automóvel. O passeio é visto, para a maioria das autarquias e autoridades deste país, como um adorno das estradas. Tu não foges há regra. É fácil afirmar isto, basta ler as tuas propostas. Pensaste na resolução deste problema no ponto de vista do automóvel, não das pessoas. Repara: estás a falar de uma zona onde existem 10 faixas de rodagem. 10! (Para aqueles que pensaram em 12, subtraiam as faixas BUS). E qual foi a solução que encontraste? Reduzir o espaço do peão. Mais uma vez passaste o ónus da utilização do automóvel para o peão.
    Tens de ver esta questão um pouco mais fundo. Neste local, na tua opinião, pode reduzir-se a largura do passeio. Pois é, e nos locais onde o passeio é demasiado estreito, como se vê noutras páginas, qual é a desculpa que encontras para o estacionamento em cima do dito? Obrigando o peão a circular no meio da estrada, com todos os riscos que isso comporta.
    A tua solução é uma falsa solução, pensada sempre em função da lata. Hoje pode reduzir-se um pouco o passeio, amanhã mais um pouco, depois mais um pouco... daí à bandalheira a que estamos a assistir é um pequeno passo. Não é especulação, foi isso mesmo o que aconteceu. Nestes últimos 20, 25 anos, os passeios têm minguado, minguado, minguado... até que chegámos finalmente ao ponto de termos avenidas com 12 e 14 faixas de rodagem e 1 metro de passeio.
    Poderias propor uma solução mais radical. Acabar com os passeios. Zero passeios. Só estradas. Estradas partilhadas por todos, independentemente da forma de locomoção. Mas isso talvez não interesse à sociedade automóvel, não é? Circular de lata atrás de quem vai a pé é uma seca desgraçada.
    Boas pedaladas.

    ResponderEliminar
  21. O Eduardo Neto é um guloso!

    O espaço automóvel ocupa 90% daquela rua. E ele acha que é pouco!

    Seria cómico se não fosse o apregoar da selvajaria.

    ResponderEliminar
  22. Posso ser guloso, mas não sou só eu. Sim o carro está mal estacionado, e mesmo assim o espaço é mais do que suficiente para o casal passar à vontade e certamente um 3º peão. Bem estacionado seria ainda melhor. Melhor PARA TODOS. Vocês não querem um compromisso, querem apontar dedos. E dizer que aquilo são 90% é SER GULOSO (ou não saber contar, 'no pun intended').

    Iletrado, falar bem nem sempre dá razão e a situação que levantei na remoção de parte do passeio era irónica (mas óbvia para os veículos, não pelos peões ou pela estética, mas pelo veículo em si.

    Sim, tens razão, gira tudo em volta dos veículos. O Homem assim que pode vergar um animal para o transportar fê-lo, assim que inventou a estrada encheu o planeta delas e assim que tivemos veículos motorizados estes nunca pararam de aumentar. A locomoção é necessária e a humanidade tem por hábito usar e abusar do que quer.

    Continuando. O suposto ideal seriam 3 faixas, uma para veículos, outra para peões, e uma de "manutenção": estacionamento, lixo, paragens, postes, etc.

    Curiosamente, e agora vou fazer um comentário genial, essa faixa intermédia chama-se... PASSEIO. Se for de alcatrão ou de outra cor já ficam satisfeitos? É que tanto quanto eu saiba temos passeios que a certo ponto são cortados para metade e passam a estacionamento, e aí tudo bem. Estaciona-se em cima e é o pesadelo.

    Eu NUNCA disse que há situações não têm razão, e por vezes têm-na e suporto-as, mas situações ridículas, com falta de visão ou querer não alinho. Não alinho porque, como sempre disse, estão a agir mal. A iniciativa é boa mas a execução é errada. E depois ainda há quem tenha a lata de dizer que o mal não é das Câmaras e Juntas. "E depois o burro sou eu..?"

    Finalmente, de notar que me refiro a esta situação e a semelhantes, como acho que é óbvio. Não me refiro ás situações com passeios de 60cms.

    ResponderEliminar
  23. Cabrões do crlh, então tão a mostrar a matricula do automóvel para toda a gente ver na net?
    Faz-me confusão aquele senhor ah frente da rapariga ser tão careca, provavelmente é de familia, que axam?

    ResponderEliminar
  24. Anónimo das 21:14, e se antes de vires aqui vomitar a azedo, aprendesses a escrever!? Volta para a escola; pode ser que ainda vás a tempo de curar esse analfabetismo! Depois consulta um psiquiatra. Isso, às vezes tem cura!!!

    ResponderEliminar
  25. Não sei se já repararam, mas a paragem de autocarro da carris ocupa tanto espaço quanto o carro estacionado.... porque não colam aí também um autocolante? Ou melhor, porque não escrevem à Carris ou CML a denunciar esse facto? Já disse milhares de vezes.... se estão mal estacionados, que sejam multados.. PELAS AUTORIDADES COMPETENTES.

    ResponderEliminar