2 ou 3 tipos de condutores?

Uma empresa do setor automóvel, a AutoCrew, perguntou aos seus seguidores na sua página do Facebook, como é que estes estacionavam, se usando a metodologia A, pela traseira do veículo, ou fazendo uso da metodologia B, pela frente!
Todavia, achamos que a dita empresa está a ser demasiadamente ingénua ou redutora na sua análise, ou, por certo está a ter uma visão positivista dos seus clientes, algo que a prática de todo não constata. Assim, como grupo de cidadãos que somos, achamos que está em falta uma terceira hipótese, essa sim, prática comum nas cidades portugueses. Logo, para nós existem apenas dois tipos de condutores a estacionar os veículos automóveis, os que cumprem o Código da Estrada, e os que não cumprem!


2 em 1, tal como no champô!

Esta simples imagem, apesar de poder ser banal, tem uma particularidade imagética muito interessante: é, tal como anunciava o champô, um dois em um! Na mesma imagem vemos a total falta de respeito que a empresa CTT tem pelo Código da Estrada - justiça lhe seja feita, não é a única e faz parte do lote de transportadores que acha que o propalado "estamos a trabalhar" serve de desculpa para as mais variadas infrações legais - mas na mesma foto damos de caras com uma outra praga na cidade, que são os proprietários e condutores de motociclos acharem que são detentores de alguma magna carta, que lhes concede o sacro direito de poderem estacionar as suas latas de duas rodas no espaço pedonal sem qualquer tipo de consequências; e ai daquele que toque no motociclo que se arrisca de imediato, pelo menos, a ser vexado ou humilhado! E nesta simples imagem, temos o Portugal citadino contemporâneo, prioridade à lataria. Já as três meninas e o senhor de meia idade, que se desenrasquem, que na vida como na política, há prioridades e o peão é a última delas.