PEÕES: POR FAVOR TRANSITEM PELOS PASSEIOS!

Reparem no letreiro afixado na Rua Garret em 1953:
PEÕES: POR FAVOR TRANSITEM PELOS PASSEIOS!

E assim, a praga automóvel foi tomando, "passo-a-passo", conta da cidade!

Passando o espaço público a ser desagradável e inseguro, e considerando que as velocidades médias dos veículos subiam com o desenvolvimento da tecnologia, o número de atropelamentos de peões subia a cada ano exponencialmente. Surgem então os diversos código das estrada, com regras punitivas para os peões incumpridores por forma a salvaguardar a sua segurança. Peão era um termo militar, quase pejorativo, para o plebeu que andava na guerra a pé, em contraste com o nobre que andava a cavalo, o veículo de então, termo ainda hoje usado no xadrez. Por esta altura criam-se os parques infantis, depósito seguro para crianças irrequietas numa cidade periogosa. Com o aumento das velocidades dos veículos a motor, surge primeiro o polícia sinaleiro, e posteriormente a semaforização. Com a obesidade crescente, devido à falta de qualidade do espaço público para modos ativos, surgem abundantemente os ginásios, para resolver os problemas crescentes de saúde da população.

Por uma questão de boas acessibilidades

Já se percebeu o verdadeiro motivo para rebaixarem os passeios nos locais onde vão existir passadeiras: facilitar o acesso para estacionamento em cima dos passeios, tal como a foto da Rua Andrade Corvo demonstra.