Freguesias dos Anjos/Pena, Lisboa

Um excelente testemunho de Lisboa, de uma das nossas leitoras em missiva enviada às autoridades que connosco partilhou.

___________

Exmos Senhores, bom dia

Venho por este meio reforçar denúncias que já fiz anteriormente relativamente ao estacionamento abusivo e impune nas zonas das freguesias dos Anjos/Pena, tão só registadas durante o caminho que faço a pé para as escolas dos meus dois filhos menores, entre as 9h e as 9h35m da manhã (dia de hoje, 15 de Maio de 2013).

Não consigo compreender porque sou, como peão, tratada como um cidadão de
segunda categoria, tendo sistematicamente as vias de circulação interrompidas por viaturas mal estacionadas, comprometendo a minha circulação e segurança (reforço que este é o caminho que faço com duas crianças pequenas, se por acaso tivesse de circular com um carrinho de bebe então seria ainda pior, ou se fossem as crianças sozinhas para a escola). Pessoas idosas, com dificuldades físicas ou com carrinhos de bebe ou de compras são enxovalhadas para as estradas e bermas sem qualquer punição dos responsaveis.

Alguém me explique por favor porque é que os condutores das viaturas são uns privilegiados que podem fazer tudo assumindo que é um direito que têm, e os peões (que pagam impostos e são claramente parte da resolução do problema de trânsito e qualidade de vida na cidade) são prejudicados?!?!?

Eu tenho um carro, que evito usar sempre que não é absolutamente necessário – a maioria dos dias – e que deixo SEMPRE bem estacionado, mesmo que só encontre lugar longe de casa. Porque é que sinto que ao ser cívica e querer contribuir de forma positiva não só não tenho quaisquer vantagens como ainda sou "gozada" por quem usa e abusa do espaço publico?!?

Acho que é demais, e que a CML tem responsabilidades a cumprir neste âmbito, assim como a PSP. Agradeço atenção as fotografias números 8 a 10 , que dá a entender que a mentalidade se estende infelizmente aos agentes da autoridade
que deviam proteger a população.

As fotos foram tiradas nas seguintes localizações:
1 e 2 - Cruzamento da Rua Heliodoro Salgado com a Rua de Cabo Verde
3 - Rua de Cabo Verde, numa das passadeiras de acesso a escola EB1 Sampaio
Garrido. Este senhor quase nem deixou espaço para lhe fotografar a matricula
4 - Praça das Novas Nações, em frente a EB Sampaio Garrido - esta viatura
esta ali há dois dias
5 e 6 - Rua Maria
7 - Rua do Desterro
8, 9 e 10 - Rua Bombarda. Veja se a senhora a ter de ir pela estrada, e entre os carros estacionados a viatura da PSP, tao fotogénica.
11 e 12 - Rua Damasceno Monteiro. Há custa de autocolantes do "Passeio Livre" esta rua esta muito melhor, mas continuam a ser diários os abusos.

Numa zona residencial, cheia de idosos e crianças, sem uma única passadeira ou redutor de velocidade, não sei como nao acontecem mais acidentes (mas acontecem).

O estacionamento é um problema, mas ainda mais o civismo. Não foram a construção de parques enormes (como o Chão do Loureiro, que esta semprevazio) que resolveu esta questão, porque as pessoas nao querem pagar?
Crise?!?! Não se paga estacionamento mas paga se por ter um carro, não pode ser! O estacionamento faz parte dos gastos associados a quem quer ter um carro, e quem opta por não ter TEM de ser beneficiado e não sistematicamente prejudicado por isso! Eu fui insultada por um senhor que estava a estacionar na passadeira na Rua Maria e que me ameaçou se tirasse uma foto. Nem se dignou a procurar lugar, que havia a uns escassos vinte metros à frente (a seguir ao carro vermelho estacionado na outra passadeira na mesma rua).

Esta semana (segunda e terça) vi vários agentes da PM na zona em questão, inclusive a rebocarem viaturas. Felicitei pessoalmente alguns agentes pela intervenção. Hoje não vi um único agente e a situação continua miserável…

Agradeço desde já a atenção dispensada. Vou continuar a fazer pressão enquanto não vir mudanças, luto pelos meus direitos, dos meus filhos e por uma (sociedade) cidade humana e cívica.

Leitora identificada

Os peões representam 22% das mortes nas estradas!!!

Um excelente artigo jornalístico do Diário de Notícias

Passeios na Rua Actor Vale 14 e 16, Lisboa

As fotografias que envio falam por si.
 
Lamentavelmente, todos os dias há quem estacione assim as suas viaturas privadas em cima dos passeios, em total desrespeito pelos peões.
 
A mobilidade dos cidadãos está comprometida

MUITO FEIO: Rua Feio Terenas, Lisboa

Os passeios neste arruamento, em particular junto dos números 1 a 5 (torneja Rua António Maria Baptista) e nº 28 (esquina com a Rua Augusto José Vieira) estão sistematicamente invadidos por viaturas automóveis.

Sem fiscalização e/ou sem a instalação de pilaretes nestes locais, os peões vão continuar a sofrer este nível de agressões inaceitáveis numa sociedade democrática e de direito.

Passeio (?) na Calçada do Sacramento, Lisboa

...neste caso, melhor será dizer, os não-passeios de Lisboa. Exemplo em pleno coração do Chiado, junto de um  dos acessos da Igreja do Sacramento. Reparar também nos pilaretes que inviabilizam totalmente a utilização dos micro-passeios que sobrevivem.

Solução? Retirar os lugares de estacionamento à superfície do outro lado do arruamento e dessa forma alargar este passeio. Mas isso seria colocar o transporte particular em segundo lugar - algo que exige grande coragem política a um presidente de uma autarquia.

Rua da Emenda: uma rua sem emenda?, Lisboa

Observar com atenção o movimento do peão nesta rua de Lisboa... no Chiado!

Rua 1º de Maio, passeio da Igreja das Flamengas, Lisboa

Exmo. Sr. Vereador,
 
Solicitamos o estudo da colocação de pilaretes no passeio em frente da nossa Igreja das Flamengas na Rua 1º de Maio, afim de proibir o sistematico espectáculo de viaturas estacionadas no passeio conforme vai ilustrado nas fotos.
 
Apesar da faixa de rodagem neste local ser destinado a estacionamento paralelo às faixas de rodagem, as viaturas estacionam em espinha e desse modo invadem o passeio, destruíndo a calçada e dificultando a passagem de pessoas que se dirigem à igreja.
 
Muito obrigada.
 
Atentamente,
 
***Leitora identificada***