Rua da Madalena 151: obra municipal


Nesta obra municipal, a decorrer na Rua da Madalena 151, a forma como um contentor de recolha de entulhos é instalado no passeio revela bem a secundarização do peão por parte da CML e de muitas empresas da construção civil. Porque nada se fez para garantir a segurança dos peões nestes momentos. Nenhuma passadeira temporária, nenhuma sinalética, nada. O peão que encontrar este obstáculo terá de atravessar as faixas de rodagem por sua conta e risco. Quanto a um cidadão de mobilidade reduzida... Isto é uma obra municipal - Elevador Público - que tem como missão melhorar a mobilidade pedonal entre a Baixa e o Largo do Caldas/Castelo. No melhor pano cai a nódoa? Com certeza é abusivo designar a nossa CML como "bom pano".

Estacionamento ilegal em Miraflores


Missiva enviada por um dos nossos leitores ao Serviço de Polícia Municipal de Oeiras:

Bom dia,

Já enviei inúmeros e-mails sobre esta situação,  e infelizmente não se assiste a grandes melhorias, tirando uma ou outra intervenção pontual.

São várias as situações que fazem com que os carros estejam em cima de passeios e passadeiras - nenhuma justificável:

- de quem vai trabalhar, e para não pagar parquímetro, vem estacionar onde sabe que nunca é multado;
- de quem não tem garagem, ou mesmo tendo, prefere deixar o carro mesmo à porta - já que a menos de 500m há inúmeros estacionamentos, grátis para residentes (mesmo que fosse pago, não justifica);
- em frente ao Centro Comercial Dolce Vita é mesmo por preguiça de andar, já que o centro tem vários estacionamentos subterrâneos, que nunca estão cheios (foto 527, 528 e 786) - aqui já ouve atropelamentos (e já assisti a duas situações em que por poucos centímetros não sucederam mais uns)

As fotos 1761 e 1762 são de um local onde o passeio já foi reparado várias vezes,  e como se pode verificar, já está outra vez a saltar. Colocaram alguns pilaretes, na zona da entrada do prédio, mas bem que poderia ter sido ao longo de todo o passeio... infelizmente esta parece ser a única maneira de impedir o estacionamento nos passeios, já que as forças policiais, apenas intervêm quando solicitadas (mas nem sempre).

Nos restantes países europeus (basta dar um salto a Espanha), durante muitos anos era comum este tipo de situações. As coisas só mudaram, porque as autoridades assim o quiseram. Podemos sempre "sacudir a água do capote", dizendo que as pessoas são pouco civilizadas, que não têm alternativa... mas cabe às autoridades municipais e policiais, zelarem pelo cumprimento da lei. Hoje em dia, já quase ninguém nesses países o faz, pois assim que uma roda sobe um passeio, a multa é quase sempre garantida!

Com os meus melhores cumprimentos,

***Leitor identificado***

Santarém - à porta do tribunal

Recebido por mail

"Fui a Santarem, e vi lá isto...

Farto do que vejo em Lisboa e arredores, é triste ver que não é só por aqui que as coisas andam mal"

Passeios na Rua Victor Hugo, em Lisboa

Passeios na Rua Victor Hugo, em Lisboa (Areeiro).

Carro com proteção para peões, Paris, 1924

No princípio da era automóvel, os atropelamentos mortais começaram a ser um constante e um flagelo, aquilo que hoje reiteradamente se despreza devido ao estatuto de sacro que tem o carro. Em 1924, em Paris, alguém decidiu fazer uma proteção na frente do carro para evitar tais desgraças.

Passeios na RUA DO OLIVAL (Lapa, Lisboa)


Sem comentários...

RUA DAS TAIPAS / Rua de S. Pedro de Alcântara


Missiva enviado por alguns dos nossos contribuidores:

_____________
Exmo. Sr. Vereador José Sá Fernandes,
Exmo. Vereador Fernando Nunes da Silva,
Temos vindo a chamar a atenção para os passeios de largura não regulamentar na RUA DAS TAIPAS, conforme vai ilustrado nas imagens em anexo.
Em vários locais o canal pedonal sofreu estrangulamentos devido à instalação, pouco cuidada, de barreiras de protecção (pilaretes e lancis em betão do tipo "autoestrada").
Bem sabemos que é complexo assegurar a protecção de canais pedonais por natureza mal dimensionados e excessivamente estreitos, mas é essencial evitarem-se estas dificuldades aos peões. 
A montante deste local, e porque não há ainda barreiras de protecção, o passeio junto à muralha do Miradouro de S. Pedro de Alcântara está frequentemente invadido por estacionamento.
O facto destas situações se manterem há vários anos é mais um claro sinal da aceitação social da inferioridade do peão na nossa cidade.
Ficamos na esperança de ver este problema resolvido na maior brevidade possível.
Com os melhores cumprimentos,
***Leitores identificados***

São Pedro do Estoril


Uma foto tirada na rua Viana da Mota, S. Pedro do Estoril.

Tirado do sítio da EMEL! É isto uma anedota?


Achamos que a EMEL, como aliás muitos organismos públicos, do alto do seu autismo, não tem por certo visto as fotografias do Passeio Livre. Mas temo-las enviado!

Rua do Arsenal, Lisboa

Da próxima vez que se deslocarem à baixa, não se esqueçam de estacionar nesse novo "parque de estacionamento". Fica mesmo pertinho da PSP, na Rua do Arsenal.


A melhor maneira de estacionar


Missiva enviada por um nosso contribuidor, à dita "escola" de condução:

________________

Exmos Senhores,

Não posso deixar de vos enviar este magnifico, ou melhor dizendo 3 magníficos exemplares das vossas capacidades de ensinar a condução a a difícil tarefa de estacionar em espaços reduzidos.

A continuar assim, estão de facto no bom caminho para prestar um serviço de qualidade, no que ao estacionamento diz respeito.

Tenho apenas um reparo a fazer. 
Nesta matéria, (dar cabo dos passeios, falta de respeito pelos peões, falta de sentido cívico), V.Exas não são os pioneiros. 

Podiam era dar o exemplo...e aí sim seriam os pioneiros!


***Leitor identificado***

Passeios de Lisboa: Rua Rosa Araújo 45


Recebido por mail:

_____________

Exmo. Sr. Vereador José Sá Fernandes,
Exmo. Vereador Fernando Nunes da Silva,
Serve esta nossa comunicação para alertar a CML para um sector de passeio na RUA ROSA ARAUJO 45, conforme vai ilustrado nas imagens em anexo.
Neste local o canal pedonal foi abusivamente ocupado pela instalação, nada cuidada, de uma enorme rampa de cimento para acesso de garage: 2/3 do passeio ficaram comprometidos.
O resultado não nos parece digno de uma cidade que se quer cada vez mais inclusiva e respeitadora da mobilidade pedonal. Lisboa tem de evitar estas dificuldades aos peões, impostas por décadas de tirania da mobilidade centrada no transporte individual. 
Tambem é essencial que o Pelouro do Urbanismo seja mais exigente no que respeita ao desenho e integração de entradas de garagem para prevenir estes terriveis ambientes urbanos que apenas nos prejudicam e envergonham a todos.
Casos como este servem também para nos recorder que o futuro da mobilidade em Lisboa nao pode passar pela 'regra' da construcao de garagens nos edificios da cidade historica.
O facto destas situações se manterem há vários anos é mais um claro sinal da aceitação social da inferioridade do peão na nossa cidade.
Por fim, relembramos que foi precisamente esta rua anunciada pela actual CML como sendo uma das prioridades absolutas para pedonalizar, o que acentua ainda mais o caricato desta rampa.
Ficamos na esperança de ver este problema resolvido na maior brevidade possível.
Com os melhores cumprimentos,
***Leitores identificados***

Passeio na Rua Castilho nº 1, Lisboa