Passeios transformados em faixas de rodagem: R. D. Estefânia e Av. António José de Almeida



Missiva enviada por alguns cidadãos aos responsáveis da autarquia

____________________________


Exmo. Sr. Vereador da Mobilidade
Exmo. Vereador do Espaço Público,


Em Lisboa os passeios também são para circulação automóvel? Foi a pergunta que nos foi dirigida por vários munícipes que vivem na Rua de Dona Estefânia, nomeadamente entre os números 33 a 63.

De facto, alguns estabelecimentos de venda de automóveis neste sector do arruamento utilizam o passeio para abusivamente estacionar - e até circular - as suas viaturas: nas 3 primeiras imagens em anexo podemos ver como uma viatura circulou mais de 50 metros no passeio! Este tipo de desrespeito pela segurança pública não pode ser tolerada nem pela CML nem pelos cidadãos.

No passeio frente ao nº 15 da Rua de Dona Estefânia é reportado iguais abusos por parte de um outro estabelecimento de venda de automóveis.

Segundo fomos informados por vários munícipes, apesar de há vários anos a CML receber reclamações e pedidos para a resolução deste grave problema (ex: instalação de pilaretes) nada ainda foi executado na defesa da segurança dos peões.

Outro local cronicamente afectado por este tipo de abusos é o passeio na Av. António José de Almeida, 30 a 34 (ver imagens diurnas e nocturnas em anexo).

Uma vez que a ocupação dos passeios de forma abusiva por parte de stands de venda de automóveis é extensivo a quase toda a cidade, solicitamos que seja estudada uma solução para aplicar a todos os locais onde existe este problema e assim resolve-lo de forma efectiva.

Com os melhores cumprimentos,

***Leitores identificados***

Av. Gago Coutinho em Lisboa

Boas notícias da Av. Gago Coutinho em Lisboa
Esperemos que seja algo perene

______________

Caros peões e concidadãos:

Ontem, quarta-feira 31/1 à tarde, assisti a um estranho fenómeno na Av. Almirante Gago Coutinho: entre as 14h e as 15h, boa parte (não todos) dos automóveis que habitualmente enchem os passeios desta avenida, entre a Av. EUA e a "rotunda do relógio", tinha desaparecido. Vi até uma pessoa deslocar-se em cadeira de rodas ao longo de um troço de algumas dezenas(?) de metros, livre de carros. Pouco depois, percebi a razão de ser deste "milagre": a Polícia Municipal estava a bloquear automóveis estacionados nos passeios! Infelizmente não pude tirar fotografias e não devo voltar ao local nos próximos dias, mas talvez algum colaborador do Passeio Livre possa passar por lá para verificar se se trata de uma actuação esporádica ou se finalmente a CML decidiu fazer o que lhe compete, quanto a este local.

Cumprimentos


Leitor identificado



"Estaciono no passeio, porque não há lugares"

A bem mais conhecida desculpa propalada pelos automobilistas, para estacionar no passeio (uma desculpa para cometer uma ILEGALIDADE) é o facto de não haver lugares de estacionamento na zona, fazendo com que seja difícil gerir as questões de logística pessoais, como ir às compras, ou ir ter com um amigo ou mesmo ir ter com algum familiar.

Todavia, essa teoria é completamente falsa. A questão é que não só os automobilistas querem lugares à porta de casa, 24h/dia, como também os querem gratuitos. E para obterem essa gratuitidade que consideram um direito, numa cidade que tem graves problemas de falta de espaço, usurpam e passam sobre os direitos dos outros.

O caso paradigmático que aqui se apresenta é de Lisboa, numa rua mesmo encostada ao parque da EMEL, do Chão do Loureiro. Todas estas fotos foram tiradas na mesma altura, ou seja no dia 23 de janeiro, às 12:50.


Saída do parque do Chão do Loureiro

 

Mesmo à saída do parque é comum
haver estacionamento abusivo deteriorando a calçada

O estacionamento ilegal é comum,
mesmo junto ao parque de estacionamento


Inquirido o funcionário do parque, sobre a sua lotação, foi-nos informado que o mesmo tinha naquele preciso momento uma taxa de ocupação de 52%.

Encontrámos várias dezenas de lugares vazios





Esta atitude de completa incúria e falta de zelo pela coisa pública, por parte da EMEL, é gritante, pois é a mesma EMEL que tem autoridade para multar e bloquear os carros em cima do passeio. Ora, se a EMEL impedisse tais ilegalidades, por certo estes automóveis estariam dentro do parque que também é da EMEL, pagando a sua utilização e assim melhorando os resultados financeiros da empresa.

Percebe-se muito facilmente que a EMEL, empresa pública municipal, não sabe zelar pelos seus próprios interesses, podendo haver mesmo, no nosso entender incúria e gestão danosa, na defesa dos interesses da própria empresa.

Todos os carros em cima do passeio foram autocolados, mas enquanto não houver vontade política para uma mudança de mentalidade, pouco mais podemos fazer do que somente ir mostrando a nossa indignação!

Zonas pedonais em Almada


Mais uma contribuição:

Caríssimos,
Envio-vos mais um contributo sobre a pouca vergonha dos prevaricadores e dos que consentem. Se acharem interessante publicar, força.
Um abraço
***Leitor identificado***

------------------------------
Fotos da zona pedonal, leia-se auto-pedonal, no Centro da Cidade de Almada. Como se constata, de dia, na rotunda da Praça do MFA ainda se vêem alguns lugares vagos em redor da rotunda em cima da calçada pedonal. A partir da hora do recolher da calma e aos fins de semana, então é a ocupação e usurpação completa GRATUITA desses espaços pedonais.
As policias também aí estacionam os seus veiculos públicos.
Os automobilistas e comerciantes (para bem do comércio local) reclamaram que essa zona devia ser ocupada por carros, e foi. Os votos são muito importantes para os autarcas, e os munícipes convivem perfeitamente com esta situação. Como se vê numa placa informativa, tiveram o especial cuidado (obrigado!) de pedir aos automobilistas que nessa zona PEDONAL dêm prioridade ao pobrezito do peão.