Polícia Municipal perita em CTRL+C CTRL+V

Caros leitores do PL, não sabemos se havemos de definir a situação como caricata e anedótica, ou tão-simplesmente como muito grave.

De todas as situações que nos foram apresentando no último ano, fomos encaminhando para a Polícia Municipal de Lisboa, pois achamos que é com a devida interação com as autoridades fiscalizadoras, que o combate assertivo ao estacionamento selvagem se resolve. 

É triste asseverarmos todavia, que não atestámos quaisquer melhorias após envio de variadas queixas para a PM, uma das autoridades competentes para lidar com esta situação. Por isso, é com tristeza e prostração que lhe recomendamos: não se queixe por email à PM, é igual ao litro! Peça autocolantes!

Um dos nossos leitores, a título de exemplo, fez variadas queixas sobre a situação na Rua dos Arameiros, todavia após várias missivas "padrão" enviadas pela PM, o estacionamento em cima do passeio é uma constante!

Passamos a explicar: das centenas de contribuições que nos eram enviadas pelos nossos leitores, as que considerávamos mais relevantes em Lisboa, reencaminhávamos para o endereço eletrónico da Polícia Municipal de Lisboa. Todavia, apercebemo-nos que o "padrão" da resposta era sempre o mesmo e que nada mudava na prática! Então apercebemo-nos da missiva tipo do subintendente da Polícia Municipal ou do Ag. principal. Seja quem assinar a carta é sempre assim:

"Relativamente ao assunto em epígrafe e conteúdo inserto no e-mail enviado a esta Policia, informo que, dentro das nossas competências e disponibilidade operacional iremos proceder a diligencias, tendentes a averiguar os factos denunciados e assim que se tornar oportuno, caso näo tenha sido informado do resultado das averiguaçöes e do procedimento adoptado durante o seu decurso, sê-lo-á posteriormente, por esta Via."

Sempre, sempre, sempre assim, sem nunca termos recebido qualquer resultado das averiguaçöes e do procedimento adoptado durante o seu decurso. Ou seja, o agente da PM, sentado na sua secretária, mais não faz o dia todo do que CTRL+C CTRL+V. Fique sabendo caro concidadão que paga com os seus impostos a agentes de autoridade que não fazem cumprir a Lei, mais precisamente o Código da Estrada no seu art.º 49.º, mas não se preocupe, que os seus impostos servem para pagar a exímios peritos em CTRL+C CTRL+V!

Ora vede algumas das missivas (há muitas mais):

Analise-as uma-a-uma e diga-nos lá se os agentes da PM não são peritos em CTRL+C CTRL+V?

Av. 25 de Abril, Portimão


Boa tarde, equipa do PL.

Esta imagem (Av. 25 de Abril, Portimão) é dedicada, principalmente, a todos os que ficam muito ofendidos e indignados por verem as suas viaturas "vandalizadas" com o autocolante, quando estacionadas sobre os passeios. Reparem que o condutor não se contentou em estacionar apenas sobre a passadeira: teve que ocupar boa parte do passeio. Reparem também na distância a que os outros 2 carros vermelhos estacionaram da passadeira.

Aproveito para chamar a atenção de quem olhar para a foto, para reparar no respeito que as autoridades responsáveis pelo urbanismo têm pelos direitos do peão: reparem como a largura do passeio está completamente ocupada nestes poucos metros, por um candeeiro de iluminação pública, um candeeiro de iluminação da passadeira (sem luz, claro), uma papeleira, uma caixa da EDP, uma cabine telefónica, um sinal de passadeira (virado para o lado oposto) e uma caixa dos serviços de telecomunicações.

Depois, para ajudar à festa, apareceu este "condutor" que achou que ali, em cima do passeio e da passadeira, era o melhor lugar para estacionar o seu veículo! Agora digam lá se não somos um povo civilizadíssimo!

Com os melhores cumprimentos,
***Leitor identificado***


Fica a pergunta do PL: E porque não começar a colocar e instalar um candeeiro de iluminação, uma papeleira, uma caixa da EDP, uma cabina telefónica, um sinal de passadeira (virado para o lado oposto) e uma caixa dos serviços de telecomunicações no MEIO DA ESTRADA!?

Caos na Rua do Seminário - Telheiras/Luz, Lisboa


Contribuição vinda por email:


Boa tarde,

Acho que não vale a pena descrever - as imagens falam por si. O estacionamento caótico é um cenário frequente, e com as obras na Escola Sec. Vergílio Ferreira, ainda piorou mais. Isto para não falar nos passeios mal dimensionados (em que parte está destruída), nos pilaretes mal colocados, postes no meio, etc...

***Leitor identificado***

Passadeira na praça das novas nações


Um leitor nosso pergunta:

"É impressão minha, ou pintaram a passadeira com o "recorte" dos carros que lá estavam estacionados?"

A saga das "Escolas" de Condução continua....


Três fotos bastante interessantes do ponto de vista sociológico e pedagógico na zona de Odivelas.

Os bons exemplos vêm sempre de quem ensina....

Rua de Gustavo de Matos Sequeira, ao Princípe Real


Rua de Gustavo de Matos Sequeira, ao Princípe Real... este cenário digno de um Planet of the Apes pode ser observado diariamente em zona "gerida" pela EMEL, uma Empresa Municipal de Gestão do Estacionamento em Lisboa! E se em vez de estarem centrados na "gestão" (e má!) dos pópós de uma minoria de munícipes a EMEL tivesse como preocupação central o garantir a MOBILIDADE pedonal de TODOS os cidadãos?

Próximo da Estrela, Lisboa


Rua da Padaria e Rua dos Bacalhoeiros em Lisboa


Contribuição recebida por email:

Uma grande parte dos passeios da freguesia da Sé não têm largura suficiente para a circulação pedonal (basta pensar na Travessa de Santo António da Sé com passeios de 20cm!); muitos outros, apesar da largura mínima para permitir a circulação dos peões, estão quase sempre indevidamente ocupados por carros e/ou caixotes do lixo - como podem ver pelas imagens da Rua da Padaria.

Como é possível atrair novos residentes, famílias jovens como a minha com bébés, se os passeios dos arruamentos são tratados assim? É um desespero descer/subir com um carrinho de bébé a Rua da Padaria! São caixotes do lixo, espelhos retrovisores a dificultar a passagem com carrinhos de bébé ou sacos de compras, são sacos de lixo, móveis abandonados, etc. Por onde devo circular? No meio da faixa de rodagem? E quando chegamos à Rua dos Bacalhoeiros é outra cruz! Não era suposto existir ali uma rua pedonal? Mas o que vemos? Passeios minusculos e estacionamento em segunda e até terceira fila!
 
Alguns dos arruamentos da Sé deviam ter apenas serventia pedonal. Noutros casos já se deviam ter suprimido lugares de estacionamento para criar passeios que cumprem com a largura mínima de lei. 
  
Com os melhores cumprimentos,

***Leitor identificado***

Bairro EMEL: Santa Catarina


Contribuição recebida por email:

"Porque razão os arruamentos dos bairros históricos geridos pela EMEL se encontram com passeios cronicamente invadidos por estacionamento? Perto destas ruas de Santa Catarina já existe um silo para automóveis (Calçada do Combro) no entanto os passeios estão diariamente assim como se vê nas imagens. A EMEL denuncia estar mais preocupada com as entradas e saídas de carros no bairro do que com a qualidade da mobilidade pedonal. Não fazem fiscalização - é o deixa andar. «Prioridade às Pessoas» afirma o slogan da EMEL nas entradas do bairro... Mas o que os peões sentem no seu dia a dia ainda é a clássica prioridade aos carros. Não se percebe a lógica da "Cidade Emel"."