Quem faz e quem deixa fazer não tem vergonha na cara?

 17h28m de 2 de Outubro de 2012
 .
Aproveitando um lugar para deficientes para estacionar e - já agora... - galgar o passeio!

Passeios invadidos por carros na Av. Infante D. Henrique em Lx junto a Sta. Apolónia, do lado do rio



Passeio deteriorado devido à circulação automóvel

Passeio deteriorado devido à circulação automóvel

Passeio deteriorado devido à circulação automóvel

Passeio deteriorado devido à circulação automóvel

Passeio deteriorado devido à circulação automóvel

Passeio deteriorado devido à circulação automóvel


Antes de mais nada, convém falar bem, quando é preciso fazê-lo. O estacionamento abusivo em cima do passeio nesta zona era muito mais traumático. Trata-se do passeio do lado do rio, na Av. Infante D. Henrique em Lisboa, mesmo antes do porto dos grandes cruzeiros junto à estação de Sta. Apolónia

Há uns meses, TODO o passeio era completamente usurpado por automobilistas que faziam do passeio parque de estacionamento deteriorando a calçada. Um dos membros do Passeio Livre comunicou à CML dando conta destes abusos e a autarquia - muito bem -  colocou pilaretes que impediram o abuso dos donos dos popós. Todavia - não se sabe se propositadamente - deixaram por colocar dois pilaretes noutro troço do passeio. Não seria de esperar então que os meninos dos popós aproveitassem essa "hipótese" para usurpar o passeio, e estacionar a seu bel-prazer.

Fotografar na via-pública - O que diz a lei

Recentemente, e no seguimento de um post que relatava uma desagradável experiência de um leitor confrontado com um fiscal da EMEL (que não queria que o seu motociclo, estacionado ilegalmente em plena paragem da Carris, fosse fotografado - mesmo sem se ver a matrícula nem o condutor), gerou-se discussão acerca do que se pode ou não fotografar, nomeadamente na via-pública (que é o que nos interessa, em termos de Passeio Livre).

1 - Segundo informação de um foto-jornalista da Visão (a quem a questão foi colocada), pode fotografar-se tudo, na via-pública portuguesa, excepto embaixadas e instalações militares. Há ainda algumas restrições no que toca a pessoas, mas trata-se de casos muito especiais e que nada têm a ver com o tema do estacionamento selvagem.

2 - O jurista Mário Serras Pereira, especialista nessa mesma matéria, tem um interessante trabalho publicado na internet (intitulado Direito de Fotografar em Portugal, de onde foi tirado o extracto que em cima se afixa) que pode ser lido na íntegra [AQUI].

Uma boa sugestão

As fotos foram tiradas no local indicado no anúncio, cerca das 12h30m do dia da sua publicação. 
NOTA: Por não terem a ver com passeios ocupados, não se afixam aqui as que foram tiradas na faixa de rodagem junto ao supermercado Continente (onde é possível verem-se carros e camionetas em 2ª e 3ª filas, perante a mais completa impassibilidade - até - de agentes da Brigada de Trânsito da PSP, que andam por ali, mas de serviço a umas obras!).

E já que falamos de motas nos passeios...

 
Lisboa - Praça da Figueira
14h54m de 9-5-2012 
.
Lisboa - Picoas
14h18m de 28-09-2012
.
A bizarra escola de condução (?) Segurança Máxima, sempre na vanguarda dos bons exemplos!