Os cocós dos cavalos da GNR

Por que não, andarem montados em bicicleta?
Mais ecológico, mais limpo, mais barato para o contribuinte, melhor condição física dos agentes!



As oferendas com que a GNR agracia os peões

É sabido que é ilegal e totalmente desrespeitoso para com o próximo, o que muitos cidadãos com animais domésticos fazem: levam o bichinho a passear para fazer cocó no jardim e depois ficam lá as massas fecais para as crianças brincarem.

Já todavia, o que é inexplicável, é que estes cocós em anexo, são de animais de porte maior: cavalos da GNR, uma autoridade. Os guardas, que patrulham a cavalo na zona Oriental de Lisboa, sem dó nem piedade deixam os pobres animais defecarem assim nos passeios dejectos fecais em quantidades cavalares, causando nojo aos peões e ocupando muito espaço.

E já agora fica a pergunta para todos:

Em vez de a GNR andar montada em cavalos, uma prática medieval, que além de ser prejudicial em meio urbano como se viu para a saúde pública, e de causar mal estar aos animais, por que não pôr os meninos da GNR montados em bicicletas? Sim, guarda montada em bicicleta! Ridículo! Porquê? Mais ecológico, mais barato para o contribuinte e melhora a condição física dos guardas, factor essencial para um bom desempenho de funções.

Venham aí as petições para pôr a guarda montada em bicicleta.

Nota: Os cocós não foram causados pelos agentes da primeira imagem, sendo esta apenas exemplificativa.

...e como já não nos bastasse os carros, os cocós dos cães, as ciclovias, temos agora também a ajuda da hewlett packard


Desrespeito total, por parte dos automobilistas, no centro de Lisboa


Bom dia Exmo. Senhores

Aproveito para vos entregar fotografias fresquinhas acabadinhas de ser recolhidas na R dos Arameiros em Lisboa

Com os melhores cumprimentos

**Leitor identificado**

Rua Rodrigues de Faria junto ao Lx Factory


Rua Rodrigues de Faria junto ao Lx Factory dia 8-7-2012 às 14h


***Leitor identificado***

Exemplo a seguir? Em Lisboa!


Missiva enviada à empresa proprietária do veículo mal estacionado

______________________


Exmos Senhores,

Estas duas fotos foram feiras hoje de tarde.

Como podem observar por umas delas, lugares aqui é coisa que não falta. 
É assim todos os dias da semana, mas no entanto, há sempre algum personagem sem cultura civica que acha que pode colocar o carro em cima dos passeios (pagos por todos nós) e por isso ser mais que os outros e passar por egoísta.

E neste seguimento seria de bom tom, que falassem com o vosso colaborador para que não repita a graça, já que dá uma imagem pouco abonatória da vossa empresa.

Agradecido,

**Leitor identificado**

Rua do Telhal, Lisboa - laxismo da PSP


Carro parado em contra-mão e em cima do passeio. A policia passa e não se passa nada!

Abraços

**Leitor identificado**

ESTREMOZ: peão exaltado!


Caros colegas,

Numa visita recente a Estremoz, deparei, como é habitual no nosso país, com várias situações que põem qualquer peão à beira de um atque de nervos.

Vejamos apenas um exemplo perfeito do estado das coisas em matéria o estatuto do peão versus automóvel.

A Câmara Municipal de Estremoz, consciente do excesso de automóveis estacionados no centro histórico - Estremoz é uma cidade cercada por muralhas - tem feito um esforço para libertar os arruamentos de génese medieval dos carros. Por exemplo, criou um parque de estacionamento gratuito mesmo à saida da Porta dos Currais (na imagem). No entanto, e como se pode ver pelas imagens, este parque está praticamente vazio. Porquê? O problema ocorre também em Lisboa, como por exemplo o Parque das Portas do Sol em Alfama. Depois de muitas décadas a permitir que os cidadãos estacionem gratuitamente, à porta de suas casas, é muito difícil alterar este comportamento. Não é impossível, mas exige muita coragem política. Tanto no exemplo de Estremoz como no de Lisboa, enquanto as Câmaras fecharem os olhos ao estacionamento selvagem na área urbana em redor dos novos parques de estacionamento, nada irá mudar. Porque razão não se alargam passeios e instalam pilaretes de protecção dos canais pedonais? Porque razão os novos parques não são acompanhados do reperfilamento das ruas com a natural supressão de lugares de estacionamento em benefício dos peões (e TODOS somos peões)? Os sucessivos governos, e os municípios deixaram que este mau comportamento - porque insustentável - criasse raízes profundas. Agora estão reféns de milhões de eleitores que não querem alterar um modelo de mobilidade, um estilo de vida, centrado na sua viatura de transporte privado. Andam a gastar milhões de euros para ter parques de estacionamento vazios e as ruas cada vez mais congestionadas com carros. 

***Leitor identificado***

Travessa das Mónicas: estes "são os loucos de Lisboa, que nos fazem duvidar, a terra gira ao contrário, os rios nascem no mar", os peões andam na estrada e os carros circulam nos passeios.


Mais umas contribuições notáveis da Travessa das Mónicas em Lisboa

Como refere a música da Ala dos Namorados estes "são os loucos de Lisboa, que nos fazem duvidar, a terra gira ao contrário, os rios nascem no mar", os peões andam na estrada e os carros circulam nos passeios.

Um artista de Odivelas


Numa rua em Odivelas...
Um abraço

***Leitor identificado***

Planeta dos Macacos em cartaz: Travessa das Mónicas. Sessões contínuas. Entrada gratuita.


Planet of the Apes. Em exibição na Travessa das Mónicas em Lisboa. Sessões contínuas. Entrada gratuita.

Comemorações para a Semana Europeia da Mobilidade

Impunidades em Lisboa


Olá, boa tarde.

Junto envio umas imagens que penso serem elucidativas do grau de civismo que impera na nossa Cidade e, pelos posts inseridos no Passeio Livre, por todo o País.

Estas imagens foram enviada à Polícia Municipal (C.M.L.) embora preveja uma resposta ZERO, como todos os e-mails anteriores enviados! O Smart esteve ali, especado, mais de 24 horas, passaram entretanto dezenas de viaturas da Carris, passaram carros-patrulha da PSP, para cima e para baixo no local e não aconteceu absolutamente NADA!

Apenas comento o seguinte, em ordem às imagens em anexo: que conterá o cérebro do sujeito que toma uma atitude deste tipo? Estacionar a lata em cima do passeio a um palmo do poste de sinalização de paragem da Carris, transtornando a saída e entrada de passageiros, obrigando os motoristas a avançarem ou recuarem a viatura para a porta ficar desimpedida? Afinal, para que serve a Polícia, o Código da Estrada, as viaturas Smart da Carris de "fiscalização" dos corredores BUS (com um agente da Polícia Municipal no interior), as leis gerais do País, já que civismo não faz parte do tipo de vida desta espécie de humanóides?


Continuação do bom trabalho desenvolvido.

***Leitor identificado***

Pois, agora falta saber o resto...

Correio da Manhã de 04-09-2012
Esta notícia é muito interessante (particularmente por nos revelar uma intervenção da PJ - uma polícia em que os portugueses até confiam), mas falta agora saber o resto, nomeadamente:
  • O que aconteceu a esses polícias municipais, entre "ceguinhos" e "míopes"? Foram afastados? Tiveram, ao menos, um processo de averiguações?
  • E as multas indevidamente perdoadas vão ser pagas? Se sim, por quem?
  • E em relação a cidades como Lisboa (em que esse "fechar de olhos" parece estar tão generalizado que blogues como o «Passeio Livre» têm a vida garantida por muitos anos...), quando é que leremos  notícias semelhantes - quanto mais não seja para nos sossegarem, dizendo que, ao contrário do que parece, "está tudo bem"?

Os novos "rolantes"

Lisboa, Praça de Alvalade
Com a crise, o aumento do número de "2 rodas" tem sido exponencial. Ora isso até seria vantajoso se, mais uma vez, os peões não fossem "chamados" a resolver os problemas de estacionamento dos cidadãos motorizados - com a agravante de que, neste caso, não há pilaretes que lhes valham!
A única coisa que ainda lhes pode valer são notas de humor como esta, onde o "punível por lei" (aqui como em todo o lado) merece uma boa gargalhada.
.
Actualização
5 de Setembro de 2012
 Aviso rasgado, mota desaparecida...