Estará na nossa natureza enquanto portugueses?


Será impossivel acabar com estes selvagens?

Mobilidade pedonal na Rua das Escolas Gerais, Lisboa



Assim estão diariamente os passeios da Rua das Escolas Gerais.

A falta de respeito pela mobilidade pedonal neste arruamento, tão importante de Alfama, fica bem ilustrado nestas imagens.

O estacionamento selvagem ocorre em muitos locais prejudicando diariamente a mobilidade dos peões assim como a circulação do Eléctrico 28 (sistematicamente interrompida).

Como as imagens falam por si, são dispensados mais comentários.

Estacionamento selvagem em Altura no Algarve


E mais umas imagens, já tão corriqueiras deste nosso Portugal.
Desta feita tiradas em Altura, no Algarve, a demonstrar aos estrangeiros, que cá em Portugal quem manda é quem tem carro, claro está!


Chamem a TVI para ver esta tragédia!!!


A TVI sempre preocupada com a tragédia alheia, dos velhinhos, dos reformados, dos incautos e dos desprotegidos, dos mal fadados com as severas políticas do governo (não interessa qual deles) que nos oferenda uma pedagógica aula dominical pela hora da ceia com o mui respeitável Prof. Marcelo; a TVI, a nobre e afável TVI também tem os seus veículos em cima do passeio! Ah, e nós que pensávamos que a Robin dos Bosques da comunicação social estava imune a estas injustiças!!!

Um desabafo poético sobre a invasão dos passeios


Eram uns quantos. Uns quantos que, como este aqui da esquerda, estavam estacionados em cima do passeio. Depois de ter posto a carta nos correios, regressei ao local e fiz as fotos do costume. Lamentavelmente do costume. E estava eu por ali, na esperança de ver as carantonhas de quem tal havia feito, quando vejo descer a rua um carro patrulha. Não tinha nada que saber: Fiz-lhes sinal para pararem.

Aproximei-me da janela da direita e a agente que aí estava perguntou-me o que se passava. A minha resposta foi simples:
"Como é que eu posso caminhar pelo espaço que me está reservado?"
O agente que conduzia perguntou, deixando-me desconcertado:
"E qual é o espaço que lhe está reservado?"
"O passeio!", retorqui, fazendo um gesto amplo e mostrando os quantos lá estavam parados.
Manobraram o carro e estacionaram onde se vê, saindo para continuar a conversa. Expliquei-lhes eu a ilegalidade da situação, bem como da frequência com que acontece.
Fui então informado que não eram da zona, mas que haviam chamado o carro patrulha correspondente. E foram à sua vida, ele e ela, de farda, crachá ao peito e arma à cinta.
"Bem posso esperar!", pensei. E enganei-me!

Uns cinco minutos, ou o tempo de um cigarro, depois, eis que chega outro carro patrulha. Juntaram-se os quatro agentes, conferenciaram, os primeiros foram-se e os segundos vieram tomar conta da ocorrência.
Entretanto, já tinham debandado os que estavam, bem como um outro que, no meio-tempo, tinha parado.

Conversa vai, conversa vem, debatemos a questão do estacionamento ilegal nesta rua, bem como no resto da freguesia, e fiquei a saber que é a mesma patrulha que cuida das autuações nestes casos que também cuida das questões criminais e das desavenças conjugais, quando para tal é chamada. E que tinham interrompido uma chamada para um assalto a uma loja, já consumado, para aqui virem em resposta ao pedido dos colegas.

Foram-se, com a minha esperança de que algo fizessem junto da hierarquia.
E ainda mal tinham chegado ao fundo da rua, já outro ocupava de novo o passeio.
Desisti! Por hoje desisti! Mas só por hoje, entenda-se, e da parte da manhã, que de tarde logo se vê!

***Leitor identificado***

Armação de Pêra, Algarve


Apesar da fraca qualidade (foto noturna com telemóvel), vê-se o exemplo do nível de educação de alguns condutores.

Profissionais qualificados e altamente especializados...


Não seria recomendável que os "Profissionais qualificados e altamente especializados" respeitassem os peões e o código da Estrada?

ProSegur? Não zela por certo pela SegurAnça dos peões!

Passadeiras sem pilaretes na Av. Sacadura Cabral


Transcrevemos na íntegra a missiva que recebemos:

"Continuamos com problemas de destruição de pilaretes na Av. Sacadura Cabral e Av Óscar Monteiro Torres.

O sistematico derrube (intencional?) de pilaretes em várias passadeiras ao longo da Av. Sacadura Cabral constitui um problema grave na freguesia. As passadeiras assim desprotegidas são usadas para estacionar veículos de cargas e descargas.

Esperávamos uma melhoria da situação destes arruamentos com a transferência da sede da Junta de Freguesia de São João de Deus para esta zona.

Apesar dos frequentes alertas para a CML, PM e Junta de Freguesia, a segurança dos peões nesta zona continua com muitas falhas.

Os munícipes idosos, invisuais e deficientes motores, enfim, ninguém pode atravessar em segurança.

Enviamos algumas imagens de passadeiras na Av. Sacadura Cabral de onde desapareceram os pilaretes que as protegiam.

Por favor não se esqueçam de dar atenção à mobilidade dos peões.

Cumprimentos e muito obrigado,

***Leitor identificado***"

Rua Maria, Intendente, sem comentários

Novo lugar de estacionamento na Praça do Município


Transcrevemos uma mensagem que recebemos:

"Bom dia,

Nesses últimos tempos, sempre que passo pela Praça do Municipio tenho visto um carro quase sempre no mesmo local. Será o novo estacionamento "privado" de algum VIP?

Parabéns Dr. Anónio da Costa, realmente a praça fica muito mais bonita com esse novo e improvisado estacionamento.

Cumprimentos

*Contribuidor identificado*"

Passeios da Rua de São José invadidos pelo estacionamento em espinha


A isto chama-se optimização de espaço para que o automóvel reine nos passeios, e o peão: que se lixe!

Peão ilegalmente estacionado na via pública



Caro automobilista, assim como não gostava que lhe prejudicassem a "mobilidade", também nós não gostamos quando estaciona o seu carro no passeio! Ou passava-nos por cima? É que de vós já se espera de tudo!

Afinal a PSP também cola, não somos apenas nós!


Parece que afinal a Polícia Municipal de Lisboa, também cola autocolantes nas viaturas.
É uma autoridade é certo, mas porque também não podem colar os peões, sem dolo ou dano na viatura, quando as viaturas se encontram a prejudicar a vida às pessoas? Há algum parecer jurídico que nos impeça de o fazer? Não danificamos propriedade privada, apenas advertimos no exercício da nossa cidadania.