A blogosfera recorda: Proibido Parar e Estacionar, Excepto CARRIS

Um artigo super interessante do Diário do Tripulante

Falta de civismo, desrespeito, rebaldaria. Estas podem ser três palavras que caracterizam o que se vai vendo por esta cidade, nomeadamente no que diz respeito ao trânsito e ao mau estacionamento, sobretudo nas paragens dos autocarros. Na maioria dos casos, são apenas os passageiros que reparam nestas situações, até porque são eles que pretendem aceder a um transporte que se vê obrigado a parar alguns metros distante do abrigo.(...)

Passeios usurpados pelos automóveis na Rua Actor Vale, Lisboa

alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada 
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada 
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada 
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada

Transcrevemos na íntegra a missiva da nossa contribuidora:
"Agradecemos divulgação deste triste espectáculo no vosso louvável bloge. Muito obrigada."


PL: Ai, não tirem o santo pópó ao tuga para a suas frívolas viagens ao Colombo!!
Acha que onde está está bem estacionado?
Condutor: E onde VOCÊ quer que eu estacione? Não há lugares! Se estivesse a roubar já não me dizia nada!
PL: E o que é que o peão tem a ver com o facto de não haver lugares?
Condutor: Eu trabalho, pago impostos, e andam vocês armados em blocoesquerdistas radicais que já nem deixam um tipo estacionar no passeio! Se for preciso defendem os drogados e os ladrões, que ainda recebem o rendimento mínimo, e um tipo só porque estaciona em cima do passeio, vocês vêm chatear!
PL: Ó meu energúmeno, você é uma besta ou é um homem?
Condutor: Acho que besta não sou!
PL Então cumpra a alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada, o seu próximo agradece!

Será que é assim em Paris?

av. de Paris - 18 de maio

Uma magna contribuição da Avenida de Paris em Lisboa

Será esta praga endémica e intemporal?




As primeira foto e a segunda foto foram retiradas do Flickr da página da Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

Constata-se assim que o desrespeito pelo peão, vem de muito longe, desde os primórdios do automóvel em Portugal. O que sucede, é que naqueles tempos, como o número de veículos era bem menor, o fenómeno não tinha contornos de praga urbana, como hoje sucede.


Passeio Montado na Av. Oscar Monteiro Torres

alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada
alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada


Mais uma indignação por parte de um dos nossos contribuidores.

O nosso contribuidor refere que "na Av. Oscar Monteiro Torres, para além da urgência de reposição dos pilaretes em falta, é essencial maior fiscalização por parte da EMEL - mas como sabemos, os abusos ilustrados nas imagens em anexo acontecem maioritariamente após as 19h, altura em que a EMEL termina a sua fiscalização.

Entre as 19h e as primeiras horas da manhã é neste estado que vemos as passadeiras e passeios. Mas não teremos direito às passadeiras após as 19h?

Para além desta situação por em risco a segurança de todos os cidadãos, não nos podemos esquecer dos muitos moradores de idade avançada cuja mobilidade é por natureza reduzida."


Mais um caso de puro laxismo da EMEL (após as 19:00), e de incompetência por parte do poder autárquico.

A sina dos fracos na rua do Forte

Esta rua, em Z e de sentido único, começa no largo de Sta. Apolónia (1ª foto) e acaba junto à rua do Museu de Artilharia (2ª foto). A sua situação habitual é esta (ou até pior...), e o curioso é que já ninguém estranha.
Em princípio, o "prémio" deveria ir para a carrinha da última imagem, pois consegue acumular estacionamento na passagem de peões, galgar o passeio e ainda entrar uns metros em sentido proibido. Mas, na realidade, o "prémio" deve ir para a caterva de pândegos a quem os contribuintes pagam para que nada disto seja possível.