A tourada do entulho


 
No seguimento da realidade aqui mostrada recentemente (veículos estacionados junto à Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa), aqui se documenta uma outra, ali bem perto.
Está em causa o que sucede no passeio norte, onde um contentor de entulho acaba por funcionar como uma boa metáfora - não só dos carros que ali estão, como do lugar onde deviam ser depositados (se lá coubessem...) todos aqueles que são pagos por nós para que cenas destas não sejam possíveis.
A 2ª foto (tirada na mesma altura) mostra a invariável indicação de "LIVRE" relativa ao gigantesco parque de estacionamento subterrâneo ali existente.

«E daqui não passarás!»

alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada

Vamos tourear as bestas - Estacionamento em pleno Campo Pequeno

alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada

Mais um magno contributo desta feita de um peão que se exaltou com o estacionamento selvagem nos passeios do Campo Pequeno.

O nosso contribuinte refere que assiste "diariamente em plena Praça do Campo Pequeno a automóveis estacionados na mesma. Porque razão num lugar com milhares de lugares de estacionamento subterrâneo isto é permitido? Há meses os restaurantes foram proibidos de terem esplanadas no exterior. Corrijam-me se esta não é uma situação mais grave (e proibida pela lei)"

Cumpre-nos dizer, que sim, tal situação é completamente ilegal ao abrigo da alínea f) do n.º 1 do artigo 49.º do Código da Estrada. Mas de que vale o Código da Estrada num país com 572 carros por mil habitantes, onde o peão é lixo na política pública?

Vade Retro automóvel

Difícil de classificar...

4 de Maio de 2012 - 14h41m
.
Esta imagem tanto podia fazer parte da colecção de Mercedes topo-de-gama que ilustram o post «Os donos do Mundo» (bando de grunhos novos-ricos para quem uma eventual multa são trocos) como em qualquer das muitas que documentam a impunidade garantida em certos "locais intocáveis" da Av. da República, em Lisboa.