Largo "Carro Santo"

Agora que se discute a construção de um mono de 3 andares para acumular mais 3 centenas de automóveis neste local, aproveitamos para publicar uma contribuição de um nosso leitor

Largo do Corpo Santo. Parece mais um exemplo lisboeta de "Largo do Carro Santo"! Toda esta bela praça de génese pombalina está tarnsformada numa parque de estacionamento.

Não há um árvore ou banco para os cidadãos usufruirem do que é suposto ser um «espaço público histórico». Chegaram ao cúmulo de criar lugares de estacionamento mesmo em frente da entrada principal da igreja!

Que outra capital da europa trata assim os seus espaços públicos mais nobres? Isto acontece a poucos metros da Praça do Município, sede do governo da cidade de Lisboa.




De assinalar que existem vários parques de estacionamento a escassas centenas de metros do local. De assinalar, também, que esta zona se encontra muito bem servida de transportes públicos, pelo que poucas justificações poderão haver para levar para ali o automóvel particular.

Abaixo a ligação para a petição a decorrer contra a construção do silo automóvel (com 3 pisos de altura!) em frente ao largo aqui apresentado: http://www.peticaopublica.com/?pi=P2012N19416

PL

É dos hábitos que nascem os espantos

A
19 Mar 11 - 12h22m
B
21 Nov 12 - 10h38m
C
D
E
23 Jan 12 - 10h38m
F
idem, 3 minutos depois
*
O passeio junto ao n.º 102 da Av. dos EUA, em Lisboa, é habitualmente conhecido como um espaço de impunidade garantida. A foto A é apenas um exemplo, entre muitos, disso mesmo  - mas talvez algo esteja a mudar. Vejamos, então, casos concretos:

*
A foto B mostra uma fiscal da EMEL a actuar, embora com a particularidade de multar o Mercedes e perdoar ao jipe (cuja condutora, que se vê na foto, deve ter dito o habitual «É só um minutinho»...).
A cena teve seguimento, com o aparecimento intempestivo do condutor do carro que, irado, barafustou, insultando a fiscal da EMEL («Não tens nada que fazer!») e metendo-lhe a multa na mão!
A senhora aceitou-a, rasgou-a, meteu-a no caixote do lixo e foi-se embora, com toda a calma! (fotos C e D). Não é preciso adiantar que o jipe ficou lá, impune - fazendo companhia ao Mercedes, que também não foi tirado dali...
*
A solução passa, evidentemente, pelo bloqueio (seguido, ou não, de reboque).
As fotos E e F mostram isso mesmo, com o multado exibindo a habitual perplexidade e decerto argumentando com o «Mas até deixei espaço para os peões passarem...!»

Pilaretes amovíveis


Lisboa - Av. Almirante Reis
.
Compreende-se que, em certos casos especiais, haja necessidade de colocar pilaretes amovíveis (ou rebatíveis). O que não se pode aceitar é que eles desapareçam ou sejam retirados para permitir situações como esta, de estacionamento privado prolongado.