Polícias com medo de multar magistrados que estacionam o carro no lugar dos deficientes

De que terão eles "medo", exactamente?


Notícia de O Mirante Online:

http://www.omirante.pt/index.asp?idEdicao=54&id=49176&idSeccao=479&Action=noticia

POLÍCIAS COM MEDO DE MULTAR MAGISTRADOS QUE ESTACIONAM O CARRO NO LUGAR DOS DEFICIENTES

Alguns magistrados do tribunal de Vila Franca de Xira têm ignorado o código da estrada e estacionado os seus automóveis nos lugares reservados aos deficientes na Praceta da Justiça, sem que nenhuma multa lhes seja passada pela polícia, situação que está a deixar os moradores indignados e revoltados. Por várias vezes os moradores chamaram a PSP ao local, que verifica a infracção mas depois tem medo de multar, sabendo que os automóveis pertencem aos magistrados. Alguns polícias, ouvidos por O MIRANTE, confirmam a situação e confessam que o problema “é delicado”.

“Por isso a maioria prefere ter uma atitude pedagógica, entrar no tribunal e pedir para tirarem o carro”, revela um agente da divisão de Vila Franca. Este é um cenário que a polícia garante que vai mudar em breve. A situação, garantem os moradores, acontece “praticamente todos os dias” e alguns confessam que já deixaram de chamar a PSP “porque não vale a pena”. A situação já chegou ao conhecimento da Assembleia de Freguesia da cidade. João Conceição, outro residente da praceta, foi apelar ao executivo da Junta que entre em contacto com o tribunal para “relembrar que os lugares reservados para deficientes são para pessoas incapacitadas”. O morador recordou um momento em que a PSP esteve no local “e teve medo de multar o carro de um magistrado que estava estacionado no lugar dos deficientes”. O alerta do morador foi confirmado pelo deputado da CDU Carlos Romano, que também vive na praceta. “Se o juiz for educado e vir que o lugar é dos deficientes não deve estacionar. Eles têm 12 lugares disponíveis e são onze magistrados. Mas há dias em que se vê 14 carros com esses dísticos do tribunal, alguma coisa se passa”, acrescentou. A presidente da junta, Ana Câncio, prometeu ir informar-se do problema.

* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE.

Uma bela dica de um leitor!

Boa noite,

deparei-me com o seu blogue e achei a ideia muito interessante. É impressionante ver a falta de interesse na resposta na autarquia. O que será que significará "responsabilidades partilhadas" com a PSP no que toca a autuar os infractores? Soa a desresponsabilização. A ideia dos autocolantes parece-me muito interessante e vou começar a usá-los.

Queria dar uma sugestão, que como qualquer iniciativa é limitada no geral mas pelo menos dá satisfação no imediato caso resulte. Hoje estava uma carrinha da Moviflor parada no passeio em frente à porta do meu prédio. Nunca estacionam lá carros porque o passeio é alto e pode estacionar-se (legalmente) paralelo ao lancil. Ainda assim o condutor preferiu parar em cima do passeio, para poupar 3 metros de transportar um volume. Após 20 minutos de estacionamento ilegal (estavam a montar algo num apartamento, não a descarregar) telefonei para o Apoio a Cliente da Moviflor, expliquei a situação e dei os detalhes do veículo. Passados 3 minutos o condutor veio estacionar a carrinha correctamente. Uma acção simples e que foi eficaz. Evitei o confronto directo e creio que foi mais eficaz por o empregado ter recebido um telefonema do empregador. E assim a própria empresa começa a ter noção dos seus deveres em criar mecanismos para evitar situações semelhantes.

Devido ao número significativo de veículos de empresas em transgressão parece-me ser um bom mecanismo para se começar a mudar mentalidades.

Abraço cordial.