Quando eles querem...!

Lisboa - Av. EUA
Agosto 2011

Há algum tempo, referiu-se, neste blogue, uma desagradável situação de um motociclista que, julgando-se rei-do-mundo, ocupava sistematicamente toda esta zona de passagem de peões - não só com a sua moto, mas também com uma gigantesca corrente.

Inconformado com a situação, o leitor F. Cardoso reclamou, por três vezes: inicialmente, junto de dois fiscais da EMEL presentes no local (sem qualquer sucesso) e, mais tarde (formalmente, e por escrito), junto da Polícia Municipal, juntando as fotos que o Passeio Livre divulgou na altura e que se podem ver [AQUI].

A boa notícia é que a sua reclamação foi atendida: não só a P.M. interveio, como os mails do leitor foram respondidos dando conta do que foi feito.
A nova situação (que parece manter-se) é a que a imagem mostra.
Ainda bem.

Como, em Lisboa, é acarinhada a calçada portuguesa


É bem possível que esta amostra de calçada portuguesa (que ornamenta a entrada principal do Palácio das Galveias - ao Campo Pequeno, em Lisboa) não tenha qualquer valor artístico.
É bem possível, também, que ela tenha sido construída por forma a suportar o peso das antigas carruagens e respectivas cavalgaduras. Esperemos, então, que resista aos veículos da autarquia - entidade que, como se sabe, tanto acarinha essa forma de arte urbana.