A malta do «Estaciono no passeio porque não há lugares!»

Na realidade, o carro que aqui se vê até nem está a estorvar muito. No entanto, a situação tem interesse na medida em que documenta - precisamente - o facto de esta gente galgar os passeios mesmo sem necessidade nenhuma. O que está em causa, nessas situações bizarras, é a afirmação saloia de "faço o que quero", um problema do foro psiquiátrico que ataca, com frequência preocupante, os condutores de veículos institucionais e topo-de-gama.

Outro caso semelhante é o estacionamento selvagem durante os fins-de-semana e feriados (quando o estacionamento é gratuito) em zonas onde não escasseiam lugares.

O «Passeio Livre» na SIC

Amanhã, 5ª-feira, dia 12 de Maio, o Passeio Livre deverá ser referido no programa «Boa Tarde», da Sic, na parte que começa cerca das 17h. O pretexto será a reportagem que o «JN» publicou no passado dia 25, e que se pode ler [AQUI].

Cuidado com o 007!

Lisboa, Rua Marquesa de Alorna
15h27m de 6 de Maio de 2011
São muitas as vezes que leitores denunciam o estacionamento em cima do passeio nas ruas transversais à Av. da igreja, em Lisboa - e esta é uma delas. A certa altura, a EMEL começou - e muito bem - a actuar, multando, bloqueando e até rebocando os carros em causa. Mas parece que, assim que os protestos abrandam, o mesmo sucede com a genica dos fiscais.

Esta sequência mostra uma senhora idosa que, ao ver o que a esperava ao longo do passeio, optou por atravessar para o outro lado da rua. Será que ela (tal como o fiscal da EMEL, que estava a poucos metros dali e nada fez) teve medo do 007 que se vê em 1.º plano?