Critérios e descritérios

Um dos motivos para o descrédito da EMEL tem a ver com a arbitrariedade dos seus fiscais, que multam ou não multam a seu bel-prazer, ou obedecendo a misteriosos critérios - o que está bem documentado nesta cena, passada na Av. João XXI, pelas 16h do passado dia 11:
Em último plano, vê-se uma carrinha da empresa que, depois de bloquear 3 carros, se deixou ficar por ali (por sinal, em 2ª fila...).
Por outro lado, o carro preto que se vê em primeiro plano esteve assim estacionado o tempo que quis e lhe apeteceu, acabando por se ir embora, calmamente (saindo pela passadeira de peões), sem ter sido minimamente incomodado.
NOTA: Nesta zona da avenida (junto ao n.º 8), os carros acedem ao passeio porque os pilaretes que o podiam (e deviam) impedir foram ali "devidamente interrompidos", o que, "por acaso", também sucede do outro lado da rua.
.

Abuso e selvajaria em Guimarães

Caros Amigos,
 
Antes de mais, quero deixar o meu apreço pelo vosso contributo para a mobilidade.
 
Em Guimarães, como em todo o Portugal, o abuso e prepotencia dos automobilistas, aliados à inoperância e passividade das autoridades, é revoltante.
 
Se o é no dia a dia, nos dias de futebol atinge proporções dificeis de suportar, mas que as autoridades encaram como sendo uma fatalidade que não se pode combater.
 
Eu discordo, temos que combater a ditadura do automóvel. Não pode ser o número de carros que afluem a um dado local que dita que se pode estacionar em passeios e passadeiras impunemente.
 
Criar excepções às regras de transito é um convite aos automóveis para invadirem a cidade.
 
Seguem fotos dos abusos, e de um parque estacionamento com imensos lugares dsponiveis.
 
Cumprimentos
JC