(?) «1271 atropelados» - «PSP diz que operação "Pela vida, trave!" atingiu objectivos.» (?)


«Cidades: 1271 atropelados

Desde o início do ano foram atropeladas 1271 pessoas em áreas urbanas patrulhadas pela PSP – 488 em passadeiras e 783 fora delas. Resultaram 13 mortos: cinco nas passadeiras e oito fora. Números inferiores aos do ano passado, avança a PSP, que, de Março a Maio, teve no terreno a operação ‘Pela sua Vida, Trave!’»
in Correio da Manhã,

«PSP diz que operação "Pela vida, trave!" atingiu objectivos»
in Sic On-Line

«Nos três meses da operação da PSP «Pela vida, trave!», cinco pessoas morreram atropeladas nas cidades, depois de em Janeiro e Fevereiro terem sido oito as vítimas mortais, pelo que a polícia que os objectivos da campanha foram atingidos.
Com o objectivo de diminuir o número de atropelamentos dentro das localidades, a PSP desencadeou uma operação nos meses de Março, Abril e Maio.
Fazendo um balanço da operação «Pela vida, trave!», a Polícia de Segurança Pública refere que foi atingido o objectivo, tendo diminuído os atropelamentos e baixado também o número de mortos por atropelamentos nas cidades portuguesas.
Relativamente aos anos anteriores, a PSP indica que entre Março e Maio de 2008 se registaram nove mortos por atropelamento, número que aumentou para 14 no ano passado (mais 36 por cento) e baixou para cinco em 2010.
Durante a operação, a PSP realizou mais de cinco mil acções em todo o país, das quais resultaram 9188 autuações por excesso de velocidade e 8147 por estacionamento nos passeios e outros locais de passagens de peões, 2115 multas por estacionamento nas passadeiras e 1599 por desrespeito ao sinal vermelho do semáforo»
in IOL Diário

Onde pára a polícia? - Resposta

O peão que se vê na imagem de cima (foto desta manhã) talvez se interrogue, como o leitor do post anterior, «Onde pára a polícia?!». A resposta era simples: estava a poucos metros dali, à esquerda, a "apoiar" a obra em curso, tal como os agentes de baixo fazem noutros casos - incluindo apoiar filmagens!

Onde pára a polícia?

«Ontem passei na Baixa e, perante um panorama do uso e abuso regular e sistemático do estacionamento em cima dos passeios (que por si naquela zona já são pequenos) ao estilo «quatro-piscas» («é só um minuto»/«estou a trabalhar»), não se vê um único polícia (pelo contrário, vi um autocolante do PL num Mercedes com ar de «viatura oficial/pode estacionar onde quiser»).
Pergunto-me: Onde estão os polícias?
É uma pergunta honesta, não estou com ironias, gostava mesmo de saber onde estão os agentes (nas esquadras? de baixa? a fazer serviços gratificados nos centros comerciais?)
Um problema que se resolvia facilmente – o do estacionamento na Baixa lisboeta – com meia dúzia de polícias nas esquinas munidos de um simples apito, mas não se vê nenhum.
Vê-se muitos a passar de carro ou mota de um lado para o outro, sem nunca pararem perante as infracções – o que me leva a outra pergunta, igualmente honesta, para onde vão?
Alguém tem resposta para isto?»
Comentário postado neste blog por um utilizador identificado como «Onde pára a polícia» em 2 de Junho de 2010 13:48

Concentrado de absurdo

Lisboa - Av. Fontes Pereira de Melo
31 Mai 10 - 13h
.
Está aqui quase (*) tudo: passeio esburacado, boca de incêndio criteriosamente colocada (e há mais outras, por perto, também assim) e carripana devidamente estacionada (no passeio a que acedeu pela faixa BUS).

(*) A única coisa que não se vê é polícia (nem PM nem PSP) nem EMEL.

Auto-auto-colante

Um colaborador do PL mandou imprimir este belo autocolante; neste caso, não para colar nos carros mal estacionados, mas para colar no seu próprio automóvel.
Aceitam-se pedidos através do peão.exaltado

De pequenino se torce o pepino.

Bom dia,

No Domingo (30 de Maio) levei o meu filho ao Museu da Electricidade, mais especificamente ao evento do Dia Mundial da Criança. Fomos de comboio, pois para além de ele gostar muito mais do que carro, é muito mais cómodo e rápido. Mas mal chegámos à estação de Belém os problemas começaram. Não existem acessibilidades para carrinhos de bebé ou para pessoas com deficiência motora. O meu filho felizmente já não necessita, mas assisti a muitos pais desesperados para descerem ou subirem os carrinhos nas escadarias de acesso.



Quando chegamos ao fim das escadas, não conseguimos literalmente andar. Tudo à volta estava inundado de carros indevidamente estacionados, inclusive na ciclovia. Tivemos que nos deslocar entre os que lá estavam e muitos deles em andamento. Quando o meu filho me perguntou porque estava tanto carro alí eu respondi a verdade: nem todos são civilizados como nós e os polícias não querem trabalhar.
A minha observação não era desprovida de razão, pois não se via um único em toda a zona e mesmo se lá estivessem, duvido que tivessem feito algo, como é hábito no que toca ao estacionamento.
Os turistas por quem nós passámos estavam perplexos com o que presenciavam, concerteza habituados a meios mais civilizados.

É inadmissível que numa zona tão turística da cidade se presencie este tipo de atitude bárbara, ainda para mais sob o olhar cúmplice da autoridade. É impossível fotografar o que quer que seja sem que apareçam vários carros na foto, em contraste com as belas imagens da cidade sem praticamente carros que se vêem nos videos da TAP.

Das duas uma, ou a polícia faz realmente aquilo para que é paga ou encham os passeios de pilateres (devidamente colocados) e acabem com esta vergonha perante o turismo e desrespeito pelo peão. Existiam alternativas sim, eu fui numa, e muito sinceramente estou desgastado com esta cumplicidade e passividade da Câmara e Polícia com este tipo de atitude.


Cumprimentos,

De amarelo fica mais bonito!

«Calçada do Carmo: passeio do Quartel do Carmo!
Mas porque é que a CML gasta tinta a pintar traços amarelos nas bordas dos passeios?
Exemplo de passeio em frente do Quartel do Carmo»
Contribuição de um leitor,

NOTA: Artigo 62.º (Decreto Regulamentar n.º 22-A/98)
Marcas reguladoras do estacionamento e paragem
1 — Para regular o estacionamento e a paragem podem ser utilizadas as seguintes marcas, de cor amarela:
M12 e M12a — linha contínua junto ao limite da faixa de rodagem e linha contínua sobre o bordo do passeio: indicam que é proibido parar ou estacionar desse lado da faixa de rodagem e em toda a extensão dessa linha;
M13 e M13a — linha descontínua junto ao limite da faixa de rodagem e linha descontínua sobre o bordo do passeio: indicam que é proibido estacionar desse lado da faixa de rodagem e em toda a extensão dessa linha;
M14 — linha em ziguezague: significa a proibição de estacionar do lado da faixa de rodagem em que se situa esta linha e em toda a extensão da mesma;
M14a — estacionamento para cargas e descargas: área constituída e delimitada por linhas contínuas de cor amarela; significa a proibição de paragem e estacionamento na área demarcada, excepto para efectuar cargas e descargas.