A vergonha continua (Odivelas)

«Boa Noite,
Caros amigos do Peão Exaltado,
Como podem observar (e não é a 1ª vez que vocês recebem fotos minhas desta rua em Odivelas), a vergonha continua sem haver fim à vista e muito menos interesse da parte da CMO em resolve-los, já que perdi a conta aos emails por mim enviados relativamente a este assunto.
A única coisa que me respondem é "as ruas estão identificadas", "o seu assunto foi remetido à pessoa responsável"...e andamos nisto...
Irei continuar a enviar-vos fotos destas, de outros locais exemplificativos do que aqui se passa, pois ruas deste género não faltam.
A vergonha é tal, que nem se dignam a colocar um simples pilarete onde já existem 3 ou 4, para que se possa evitar o chico espertismo do costume, onde há sempre um artista a "enfiar" o bólide.
Grato pela atenção dispensada, apresento os meus melhores cumprimentos,
*Devo salientar que tenho um filho com 2 anos, logo não irei continuar por certo andar no meio da estrada apenas e só porque alguém tem mais que fazer...»
Contribuição de um leitor,

A questão não é se o «acto de colar o autocolante é legal»; a questão é: «se é crime?»

Estes comentários foram repescados da caixa de comentários: «...é simplesmente ridículo!»(?) »

«Se é para falar a sério, eu falo a sério disse...

A questão não é se o «acto de colar o autocolante é legal»; a questão é: «se é crime?»
Claro que o carro é seu, poderá haver algum tipo de responsabilidade civil, tipo ter de pagar pela limpeza do vidro…
Mas as autoridades não podem fazer nada quanto a isso, porque não há tipo de crime.
Para alguém ser punido por um crime, tem de estar esse crime previsto na lei e o o tipo previsto na lei que mais se aproxima é o crime de dano; ora, tal como já foi aqui explicado, o carro não fica danificado, fica simplesmente «sujo».
É um aborrecimento.
Os aborrecimentos não têm tutela legal.
Tudo o resto são questões éticas.
Poderá questionar o uso do autocolante, mas, pelo estado das coisas – no que se refere ao estacionamento selvagem – o autocolante é um BEM HAJAM!
26 de Abril de 2010 19:30

Se é para falar a sério, eu falo a sério: disse...

A questão da cuspidela é interessante, mas também não caberia no tipo penal.
O que coloca de fora a intervenção das autoridades policiais.
Mas imagine que ia para tribunal, tinha todo o direito em instaurar um processo de natureza civil, com base no dano: a cuspidela: «bagatela jurídica», valor da causa? 1€?!
26 de Abril de 2010 19:37

Se é para falar a sério, eu falo a sério disse...

Uma 3 situação interessante:
O direito de defesa perante alguém que lhe esteja a colar o autocolante!
Esta já é mais manhosa!
Releva aqui desde logo que, se não há tipo penal, teríamos que ir para a legítima defesa civil, ligeiramente diferente da legítima defesa penal.
Na legítima defesa civil impera o princípio da proporcionalidade: Ou seja, se eu com o autocolante lhe estou a provocar um dano que, quantificável seria cerca de, digamos, no máximo 5€, o dono do carro não me poderia partir dois dentes para impedir o dano…
Não é fácil… parece-me mais simples, simplesmente, não estacionar nos passeios. »
26 de Abril de 2010 19:51

«Tantas coisas para lutar por...Estão a perder tempo com o quê?»

O seguinte comentário foi postado, em 25 de Abril de 2010 16:31, na mensagem «Para que servem os passeios na Calçada da Graça?»:
«Meus caros,
Quem é a Paty?
Hão-de em breve, muito em breve, receber notícias minhas.
Preguiça? Levanto-em às 5.30 da manhã, levo a minha filha à escola, apanho barco (convinha conseguir estacionar), trabalho 9/10 horas por dia, volto para casa, continuo com o trabalho doméstico, adormeço a minha filha, continuo com o trabalho da faculdade. Preguiça?
Eu quero chegar à estação dos barcos e ter estacionamento. Tenho um estacionamento pago, sempre ocupado, passeios larguíssimos onde passariam legiões, tenho lugares onde não é permitido estacionar, e tenho um terreno que serve de estacionamento para jipes. E é quando não chove.
Creio que sabemos do que estamos a falar.
Inteligência, ordem de ideias parece-me que vos falta a vós.
Não estaciono na lateral direita, porque este sítio não é para respeitas. Comento aqui porque me apetece, porque este sítio não merece que cumpra o que quer que proponham.
O autocolante vai ser proibído. Este sítio não tem, legalmente, qualquer autoridade.
E, mais uma vez, até breve.
Patrícia B.
P.S. - Pobrezita, escreve-se com Z. Onde é que aprendeu a pensar?
P.S. 1 - Eu só estaciono em cima de um passeio, quando o passeio tem espaço para ser um estacionamento. O que é que não apanharam? Andaram na escola onde?
P.S.2 - Tenho carta há 15 anos. Nunca tive um acidente. Nunca culpabilizei os outros por nenhuma das minhas acções. Não é de bom tom. Sou educada.
Crescer e aparecer? O barrete serviu-vos, não?
Fiz queixa e vou voltar a fazer. E as autoridades, caso não saibam, não gostaram muito da ideia. O meu advogado também não.
Devem aprender a pensar, a escrever e a tolerar. Na situação em que o meu carro estava, à altura, mal estacionado de facto, nenhuma autoridade interviu. Quem é que vocês que são?
Tantas coisas para lutar por...Estão a perder tempo com o quê?
Nenhum respeito. Não merecem nenhum respeito. A vossa ideia até nem é má, devo dizer-vos, mas façam as coisas com classe.
O que me parece é que são um bando de ignorantes. É uma pena.
Encontro breve? Despenso. Tenho outros projectos muito mais dignos que esta vossa aventura imbecil e desprezível.
Eu limpo o vidro. A conta irá ter convosco.
Abraços
Mais um aside: podiam assinar os comentariozinhos, não? Dignificava-vos.»

PSP - Próximos de quem precisa.

«Fotos tiradas hoje, debaixo da pala, no passeio fronteiro ao C.C.Vasco da Gama. O exemplo vem de cima, cena recorrente.
Mas já vi pior, uma vez estacionaram debaixo daquela "escultura" metálica que está em frente ao referido centro comercial, do lado da Alameda dos Oceanos, cena muito fotografada pelos muitos turistas que por ali andavam na altura. Pena eu não ter tido hipótese de também fotografar a cena.
Aliás, esta policia com esquadra na estação do Oriente, não se limita a dar bons exemplos como o agora documentado, fecha completamente os olhos às permanentes infracções que ali se cometem, carros estacionados em segunda fila, nas faixas de Bus e nas paragens de autocarro são o pão nosso de cada dia. É verdade que de vez em quando vejo lá os municipais a bloquear uns quantos, mas não seria preferível impedir impedir os automobilistas de transgredir? É que lugares de estacionamento (pagos) ali não faltam.
Enfim...
Cumprimentos»
Contribuição de um leitor