Rua da Oliveira ao Carmo e Rua da Condessa

«Venho solicitar à Polícia Municipal maior fiscalização do estacionamento indevido na Calçada do Duque e arruamentos perpendiculares, como a Rua da Oliveira ao Carmo, Rua da Condessa e Calçada do Carmo.
A 27 de Abril de 2008 fiz uma exposição sobre este mesmo problema.
Na Rua da Oliveira ao Carmo estão habitualmente estacionadas viaturas no meio da via como podem ver pelas fotografias. A hora de almoço é quando ocorrem mais abusos.
Em caso de incêndio o acesso de viaturas de emergência não será possível. Considerando que estes ruamentos são muito estreitos e com prédios antigos, a situação é gravíssima.
A pedonal Calçada do Duque está frequentemente obstruída com veículos motorizados. Envergonha ver as centenas de turistas, que percorrem todos os dias esta calçada, a desviarem-se dos carros estacionados sem qualquer respeito pela lei.
Envio 4 fotografias que valem por mil palavras.
É urgente patrulhar esta esquecida zona do Chiado. Porque não passam por aqui os veículos electricos da Polícia Municipal oferecidos pela Agencia Baixa Chiado?
Cumprimentos e muito obrigado pela vossa atenção.»
e-mail enviado por um cidadão identificado a: pm@cm-lisboa.pt, antonio.amaral@baixachiado.pt , Avchiado direcção , jfsacramento@iol.pt, Com conhecimento ao peao.exaltado

Notícia do Expresso: «Emel: O reboque é para o que cabe, não para o que merece»

«Lisboa, Avenida 5 de Outubro, dois carros mal estacionados quase lado a lado. Para um, a aplicação intransigente da lei, para o outro, nem por isso.»
18:45 Terça-feira, 6 de Abril de 2010, in Expresso
Ver FOTOGALERIA

O exemplo da GNR

«Caros amigos,
Junto envio umas fotos tiradas na Rua dos Marcos, na Ajuda, em Lisboa, onde se pode constatar o exemplo dado pelas autoridades que deviam zelar pelo cumprimento da lei. Do autocolante não se livraram. Cumprimentos. » Contribuição de um leitor

MAIS FRUTALMEIDAS (PARA DESENJOAR DAS AMÊNDOAS)

«Eu sei, é um grande acontecimento, mas nem sei se o condutor foi multado, pois deu as justificações do costume: "não tinha onde parar (a 5 metros)".
À boa maneira portuguesa, ouvi o condutor de outra carrinha, que até estava em segunda fila a fazer descarga, a perguntar a ele: "Safaste-te?". Por sinal, o mesmo condutor que ontem tinha ocupado todo o passeio. Pelo menos a carrinha é a mesma.»
Contribuição de um leitor.