Depois queixam-se que a empresa dá prejuízo...

Lisboa, Rua João Villaret - 11 Mar 10
.
A fotografia de cima foi tirada às 13h46m, e a de baixo  mais de 4h depois (às 17h55m). Desengane-se quem pense que «mais vale tarde do que nunca», pois a carrinha da EMEL nem parou - quando o fotógrafo se preparava para tirar uma 3ª foto, já ela tinha desaparecido, ao fundo da rua!

Ausência de passadeiras em Campo de Ourique

«Caros Senhores,
abaixo transcrevo o texto que enviei por correio eletronico no dia 4 de Setembro passado para a Junta de Freguesia de Santo Condestável e para o Dep. de Espaços Publicos da Câmara Municipal de Lisboa.
Adicionei também uma foto exemplificativa do estado das ruas alcatroadas recentemente em Campo de Ourique:

"Bom dia Caros Senhores,
venho por este meio tentar saber junto de vossas Exas. o porque de não terem ainda sido pintadas passadeiras em todas as ruas de Campo de Ourique que foram alcatroadas e nas quais já foram pintados os lugares de estacionamento.
Há já mais de 3 semanas que a Rua Coelho da Rocha entre a Rua Ferreira Borges e a Sampaio Bruno, por exemplo, não tem uma única passadeira pintada.
Estando o piso novo e em óptimo estado, os condutores aceleram dentro do bairro colocando em perigo os peões, pois não estão habituados a ver os sinais verticais de passagem de peões."
Dos primeiros obtive uma resposta que referia "...já alertamos a C.M.L., que é o responsável, que nos informou que irá proceder a sua pintura mas que terá que passar algum tempo enquanto a película superficial do alcatrão não desaparece."

Dos segundos não houve qualquer resposta e a situação mantêm-se até hoje, tendo algumas ruas já sido alcatroadas há mais de 1 mês.
Esperando melhor atenção da vossa »
Contribuição de um leitor

E 'tá legal!






Sendo este blogue dedicado à luta contra o uso abusivo dos passeios (nomeadamente, por parte dos automóveis), refere-se também, com frequência, a consequente destruição dos respectivos empedrados.
Pois bem; o que aqui se mostra é uma situação - no mínimo... - curiosa: o estacionamento neste passeio (na Alameda D. Afonso Henriques) não só é legal, como é pago... A imagem de cima até mostra os risquinhos delimitadores, enquanto na penúltima se pode ver o respectivo parquímetro.
Tudo isso a dois passos de um parque de estacionamento subterrâneo com 5 pisos, dos quais o 5.º até está encerrado - por motivos evidentes.
NOTA: a foto de baixo também vem a propósito da duvidosa legalidade da placa branca que "autoriza" o estacionamento em cima do passeio.

Hospital Amadora-Sintra


Com os pilaretes arrancados (e como?! Com jipes?!), já é possível estacionar em cima dos passeios e placas - apesar de não faltar estacionamento (gratuito).Quem havia de dizer que não faltam, por ali, vigilantes - e até agentes da DT da PSP!

Seminário Internacional “A Cidade a Pé” 18 de Março em Aveiro



A Câmara Municipal de Aveiro promove, no dia 18 de Março, o Seminário Internacional “A Cidade a Pé”, no Centro Cultural e de Congresso de Aveiro, entre as 9.00 e as 18.00.
O seminário surge no âmbito do Projecto Europeu de Mobilidade Active Access, integrado no programa europeu Intelligent Energy Europe, do qual o Município de Aveiro é um dos 17 parceiros europeus que integram a rede de cidades promotoras de medidas de mobilidade.


Este evento pretende divulgar e discutir o objectivo principal do Projecto Europeu “Active Access”, que reside na promoção de políticas que aumentem a circulação ciclável e, sobretudo, pedonal nas pequenas deslocações dos cidadãos, ganhando consciência das hipóteses de compras, serviços e lazer na sua vizinhança. Estarão presentes representantes e especialistas dos diversos parceiros europeus.


O projecto europeu ambiciona conseguir uma redução do consumo de energia e emissões, bem como melhoria na saúde das populações, prosperidade do comércio tradicional e ainda o aumento do sentido de pertença a um lugar, reforçando os laços de vizinhança e implementando a urbanidade.


O projecto Active Access, tem como parceiros europeus, para além de Aveiro, uma rede constituída pela Universidade de Napier (líder do consórcio) e pelas cidades de Koprivnica na Croácia, L’Aquila em Italia, Szeged na Hungria, a Austrian Mobility Research, o município de Tartu na Estónia, a Agência de Energia de Harguita, o Club de Ciclistas da Hungria, o Centro Nacional de Saúde da Eslovénia, o Instituto Alemão de Assuntos Urbanos, a Agência de Energia Prioriterre de Annecy em França, a Agência de Energia de Ribera em Espanha, Cities 4 Mobility, Universidade de Chipre, Walk 21 e The Association for Urban Transition 
  
A ficha de inscrição deverá ser enviada para: AA_walking@cm-aveiro.pt
24-02-2010


--
Segundo o blog World Streets, “Uma ideia tão simples e brilhante...que não há nenhuma cidade neste planeta sobrepovoado - e que tenha orgulho em si mesma - que não esteja a pensar em organizar estes eventos pelo menos uma vez por ano. O verdadeiro génio desta abordagem é que é um evento pouco complicado, fácil de executar e positivo. Para além disso, é altamente inclusivo – afinal de contas, o que pode ser mais inclusivo do que andar a pé - e profundamente ancorado na cultura do lugar. Bravo a Aveiro e a todos os que estão por trás deste projecto”.


Infelizmente a selvajaria ainda é um problema em Aveiro apesar dos esforços!


Estacionamento ilegal autorizado

«Boa tarde,
situações destas nunca presenciei em nenhum país europeu que visitei, e já foram muitos. Como é possível a própria autarquia disponibilizar de uma forma ilegal, lugares de estacionamento, inventando sinais que legalizam aquilo que é ilegal? Por mais sinais que inventem, o óbvio está lá: eles contradizem e desrespeitam a lei. Vergonhoso. Volto a dizer: nunca vi isto em lado nenhum. Provavelmente no Burkina Farso ou Etiópia, mas aqui??? Ou estaremos ao nível deles? Em falta de civismo, tenho a certeza que estamos.»
Contribuição de um leitor

insolitos

«O estacionamento de automóveis, bem como outros bloqueios do espaço pedonal, em Lisboa, ultrapassa todos os limites do credível.
É o caso do que aqui se vê, na esquina da rua Chabi Pinheiro com o Campo Pequeno.
Para que se não possa afirmar que haverá um carro estacionado na passadeira de peões, a autarquia diminuiu a sua largura, apenas junto ao passeio. Ainda andei a examinar o local, não fora tratar-se do resultado de uma qualquer intervenção no asfalto depois de pintado. Mas não, este está incólume e as duas riscas em causa perfeitamente delineadas a acabadas.
E que faz acabar com a paciência e bonomia de qualquer cidadão que queira caminhar pela cidade!»
Contribuição de um leitor,

Afinal...eles andam ai!

«Como comentário apenas gostaria de referir que esta equipa de bloqueadores tem, na carrinha deles (EMEL), e bem visível para quem vai pagar o dito desbloqueio, os autocolantes do Passeio Livre.
Talvez andem calados, mas também sofrem nesta cidade e apoiam a causa.
Cumprimentos»
Contribuição enviada por e-mail, por um leitor identificado.

Protesto: PAGO TODOS OS IMPOSTOS A TEMPO E HORAS...

Exmo. Senhor Passeio Livre

É com muita satisfação que chego ao mau carro hoje e tenho um autocolante vosso no meu vidro. Achei o máximo e pensei para mim "haja alguém neste país que pense em civismo". Pois é, pena é não colocarem um autocolante desses NAQUELES CARROS QUE BLOQUEIAM MESMO passeios e passadeiras, que não foi de todo, o meu caso!
Infelizmente estamos num país com poucas condições para quem trabalha honestamente de manhã à noite, num local onde, para se ir de transportes públicos perde 3h diárias, horas essas que, ao ir para o trabalho de carro, as dispende com os filhos, que como sabem vão ser o futuro deste país. País este sem eira nem beira, governado sabe-se lá por quem, e onde a luz ao fundo do túnel já se apagou há muito.
Prezo muito o vosso trabalho, mas acho que deviam "atacar" a quem de direito, e não quem trabalha, ganha para o dia, paga TODOS OS IMPOSTOS A TEMPO E HORAS, e se rege pela educação e respeito ao próximo, mesmo vivendo num país de 5º mundo sem condições minimas de vida, para quem trabalha arduamente.
Com isto vos peço, numa próxima vez, coloquem por favor, um autocolante em tons de rosa pois eu destesto amarelo, e já agora tentem pôr uma cola mais soft pois vou me ver grega para tirar aquele post-it inventado sabe Deus por quem.
Também vos digo que, caso o Sr Passeio Livre, que hoje teve a amabilidade de me colocar este post-it no meu vidro do carro, queira trabalhar a sério, fazer andar o país e sentir-se útil, que me contacte rápidamente porque a minha empresa tem muito serviço para fazer. Caso queira, não sei, continuar, digo eu, a colocar esses autocolantes nos carros que tentam estacionar nesta cidade de forma, a não prejudicar os peões, que o melhor é pôr a mão na consciência e deixar trabalhar quem queira ver este país, à beira mar plantado, evoluir.

Desde já grata pela vossa atenção
Com os meus melhores cumprimentos
Leitora identificada