De saudar


Como se sabe, esta gente das carrinhas e das camionetas costuma dizer «Estou a trabalhar!» - pretendendo, com isso, reivindicar uma superioridade de direitos sobre os outros condutores, nomeadamente no que toca ao estacionamento selvagem. Infelizmente, as entidades policiais e fiscalizadoras parecem, as mais das vezes, aceitar tacitamente essa justificação, pelo que são extremamente raras situações como a que aqui se vê - e se saúda!

A imagem mostra também um carro a tratar de estacionar em cima do passeio, completamente alheio ao facto de a carrinha estar bloqueada, ali bem visível...

Boas notícias para desenjoar II

Caro Passeio Livre

Em Março do ano passado enviei uma carta de protesto dirigida ao comandante do posto da GNR de Alcochete, a reclamar contra o estacionamento em cima dos passeios numa das escolas primárias da Vila. Também tenho enviado mensagens de protesto, com alguma regularidade, à CM Alcochete. Pois, nesta Terça-Feira, vi, com surpresa e satisfação, junto ao portão principal da escola, dois militares da GNR que impediam o estacionamento das bestas de aço em cima do passeio. Tal como aquela leitora de Lisboa refere, pode ser uma vez sem exemplo, mas os nossos protestos podem estar a surtir efeito e a mudar as mentalidades. Especialmente daqueles que têm a
responsabilidade de fazer cumprir a Lei. Portanto, é preciso não esmorecer e continuar a protestar. Não é num dia que se muda um mau hábito adquirido ao longo de mais de 60 anos.

Continuem com este serviço público.Leitor Identificado

Boas notícias para desenjoar

Boa tarde peões exaltados!

Acabei de receber uma chamada telefónica que me surpreendeu tanto que resolvi partilhar!

Tinha eu feito uma queixa no site da CML "na minha rua" sobre os carros estacionados no passeio, em segunda fila e nos lugares reservados a cargas e descargas nas ruas dos Lusíadas e Luís de Camões em Alcântara. Falo especialmente destas ruas porque é onde passam os autocarros que são obrigados a longas esperas por estes automobilistas. Ontem de manhã a rua estava o caos de sempre mas à tarde, o 738 passou sem espinhas!

Não é que acabo de receber uma chamada telefónica da polícia municipal a dizer que por lá andaram a multar e a agradecer a minha participação. O agente ainda se desculpou da falta de meios e concluiu que é bem provável que tudo volte à mesma, mas que tentariam rondar de vez em quando. Disse-lhe que com insistência e consequencia as pessoas mudariam de atitude!

Enfim, não sei se foi vez sem exemplo, mas fiquei com a sensação de  que começa a valer a pena protestar e se muita gente protestar haverá mudança.


Afinal a questão é: somos mais os que querem andar livremente a pé no passeio ou os que querem poder lá estacionar na boa quando precisam?



Leitora identificada

Ainda o Algarve caótico

Hoje em dia, e num mundo altamente competitivo, uma terra que viva do turismo não pode oferecer só sol e mar.Será que as autoridades que, um pouco por todo Algarve, permitem isto (e muito mais), não percebem essa verdade tão simples?

O retrato de um Algarve que espera por si, todo o ano

«Bem-vindo ao Algarve
Algarve. Para onde quer que as atenções se virem, as cores da serra e do mar estão sempre presentes, numa aguarela em que ressaltam pontos dourados, verdes e azuis. A região é extensa e simpática, com clima mediterrânico, marcada pelos odores da maresia e das flores silvestres.

Um passeio a pé pelo emaranhado de ruas, vielas e escadinhas do interior algarvio é a melhor forma de conhecer esta zona da região. Perca-se ainda na vastidão da orla litoral, tendo como fundo as mais belas praias da Europa, onde se avistam os recortes dos rochedos e as facécias das sombras que eles deixam no areal.
(...)
O retrato de um Algarve que espera por si, todo o ano»
in site da Entidade Regional de Turismo do Algarve

Mais do mesmo (cont.)

À procura da bela sombrinhaSomos da televisão!...e nós do terceiro mundo.À janela com os olhos na......é rápido e...
a polícia faz o mesmo!
Fotografias enviadas por diversos leitores para o e-mail do peão.exaltado

Destruição na Costa da Caparica

«Caros senhores,

Aqui vos envio mais umas fotos muito reveladoras do desprezo que os automobilistas e autarcas mostram pelos seus semelhantes.
1. Estacionamento selvagem nos passeios com destruição dos mesmos, acabados de construir no âmbito do Programa Polis. Permissão inconcebível por parte das autoridades policias da execução deste crime
2. Outro facto relevante que desejo salientar, mas que não é do nosso foro, foi a má construção da calçada portuguesa sobre areia, e que em meu entender deveria ser sobre uma terra mais consistente, até com algum cimento. Mas, caros senhores, quem sou eu, um simples Capitão da M. Mercante, para criticar os nossos engenheiros civis. Assisti à construção desta calçada, como é assim em toda a Costa, e franzi o sobrolho, e aí está o resultado. Claro está, que apesar da má construção, os peões só por si, não destruiam com os pés o pavimento. Salvava-se a imagem da Costa e dos engenheiros. Isto é um autêntico crime contra os cidadãos e contribuintes nacionais, e não só, pelos 8 200 000 de euros orçamentados, como a seguir vos transcrevo:
"Para além dos fundos comunitários, constituem fontes de financiamento para as acções a
desenvolver pelo Programa Polis, o financiamento autárquico e da Administração Central e ainda
o financiamento empresarial público ou privado"
Se entenderem publicar as fotos no blogue, agradeço que refaçam um texto e legendas vossas bem elucidadtivas, acreditando que serão melhores que as minhas.
No entretanto, estas fotos e outras denunciadoras de um total desprezo pela Costa vão ser enviadas para autoridades nacionais.
Um bem hajam»
Leitor identificado

impunidade garantida (cont.)

«Há meses, muitos meses atrás, foi denunciado esta pouca vergonha:
http://passeiolivre.blogspot.com/2009/05/112-almada.html
Infelizmente, nada mudou, e agora, em lugar de uma ambulância, são 2 ou até 3 sempre estacionadas nos passeios...
É passar pelo restaurante (sempre o mesmo) e lá estão eles todos felizes a almoçar!
Continuação do bom trabalho e um bom fim de semana,»
Contribuição de um leitor