road safety charter

Lembram-se do concurso do road safety charter?

Estão apurados os concorrentes e reconhecemos alguns leitores entre os participantes!

Ainda estamos à espera de vencedor, mas Portugal é dos países mais representados... só com maus exemplos por enquanto...

Chamem a polícia II

Uma manhã como as outras na Avenida dos Estados Unidos da América:




Entretanto em Oeiras, próximo da estação e a 20 metros da esquadra, numa zona onde é frequente ver crianças e idosos serem obrigados a usar faixa de rodagem em vez do passeio, passa um senhor Polícia:



Mãos atrás das costas. Multou? Aceitam-se apostas.

É a cultura, estúpido!

[...] é que os portugueses têm uma maneira de estar na estrada que é exclusivamente deles. Ou, como agora se escreve, e neste caso muito a propósito: que é exclusivamente sua (sim, sua).


[...] O Código da Estrada, para os portugueses, é como qualquer código contemporâneo do de Hamurábi: destina-se aos investigadores estrangeiros, tem um valor sobretudo histórico e científico, e é de todo indecifrável. Serve para resolver disputas nos tribunais quando os deuses malévolos originam o azar de um «desastre» (repara-se na carga fatal e cosmológica da palavra, ilibando a mera condição humana de qualquer responsabilidade) e, como tal, é um oráculo como qualquer outro Delfos.


[...] todos os portugueses adoram passeios. Os automóveis, sobretudo. Mesmo quando estacionam, gostam sempre de pousar duas rodazinhas sobre o passeio, num gesto de afecto em tudo igual ao de pôr um braço fraterno por sobre os ombros de um amigo. E a razão que leva os peões de Portugal a andar no meio da estrada não é outra: passeiam como automóveis pela via fora, porque os automóveis se agacham ternamente sobre todos os passeios disponíveis, guardando ciosamente o torrãozinho de cada um.


Miguel Esteves Cardoso, A causa das coisas, Assírio e Alvim, 1986

Uma das coisas que mais irrita os Turistas

Caros P.E.

Tive conhecimento do vosso site graças a um programa na RTP Internacional.

Posso vos dizer que uma das coisas que mais irrita os Turistas são os passeios dos grande centro urbanos em Portugal estarem bloqueados por todo tipo de veiculos.

Em simpatia pelo voso trauma, aqui vos envio uma foto do Reino Unido onde os carros estacionados nos passeios são imediatamente levantados por gruas e levados para um parque automovel onde se tem que pagar £100 libras esterlinas para se recuperar o veiculo.

Nos passeios da minha santa terrinha "Welling" por exemplo, só veiculos como estes é que estão autorisados a rodar nos passeios.

Que tal ??

Claude Moreira
Welling
http://homepage.ntlworld.com/welling.website

PS  Podem publicar o meu e-mail e foto se quiserem.





No Reino do Absurdo



O estacionamento selvagem continua a ser o vergonhoso ex libris de Lagos,
uma terra com pretensões a destino turístico de qualidade
.
Repare-se na imagem de cima: a autarquia, que ali colocou os pilaretes, teve o cuidado de, em todos, gravar as suas iniciais, bem visíveis. No entanto, nem isso é suficiente para dissuadir os reis-do-mundo, numa terra onde o estacionamento é abundante e gratuito, mas onde as autoridades não actuam (ou só o fazem a pedido - para não dizer a contra-gosto).

Ora, e por mais espantoso que pareça, nessa terra não se nota qualquer indignação generalizada dos peões contra a ocupação (tão selvagem quanto desnecessária) dos passeios: em todo o lado é possível ver pessoas com bengalas, muletas, carrinhos (de bebés e de compras) e cadeiras-de-rodas (manuais e eléctricas) - pelo meio das faixas de rodagem, como se fosse a coisa mais natural deste mundo, como se pode ver numa destas imagens e [aqui]! E se alguém protestar contra esse absurdo, o mais certo é fazer figura de avis rara e, inclusivamente, suscitar a indignação dos presentes - a começar pelos prejudicados!

Carcavelos e uma vila Europeia

Bom dia,
 
permitam-me que mostre a v. exas. um exemplo comparativo daquilo que é Carcavelos e uma vila Europeia. Não sei se irá tirar o sono a alguém, provavelmente não, desde que não seja um familiar ou amigo vosso que é atropelado.
Como já visitei bastantes países europeus e a pergunta a que eu chego sempre que volto de um é: "Mas afinal quem servem estes senhores que elegemos?". Eu não sei a resposta, mas de certeza que não é ajudar quem se desloca com um carrinho de bebé, quem é idoso ou possui alguma deficiência física, ou simplesmente necessita do passeio para se deslocar, como, sei lá, uma criança.

Pergunto eu a v. exas para onde viajam nas férias? Provavelmente para o Algarve, como 90% dos portugueses. Sugiro então que se desloquem a outros países e aprendam um pouco com eles. E que tragam para cá e apliquem competência e respeito. Nada para mim é mais constragedor do que um amigo meu chegar cá e perguntar: "Mas porque é que nesta estrada (marginal) não fazem um via para as pessoas andarem de bicicleta?". E eu envergonhadamente, respondo: "Aqui só se anda de carro. Fecham esta estrada aos carros uma ou duas vezes por ano para incentivar o exercicio e depois proibem-nos de andar de bicicleta nos poucos lugares que há para isso".
C. M. V.






É necessária legenda para se saber qual pertence a Carcavelos?






Nota: Houve um pequeno problema de configuração das imagens que esperamos que já esteja resolvido.