Lagos - Bairro da Ameijeira


(Pormenor)
A FOTO de cima mostra um curioso concentrado: um carro que se espraia por 3 lugares de estacionamento, um outro que não resiste à tentação de subir o passeio (nem que seja só um pouquinho...), e um jipe cujo dono até fez umas rampazinhas em cimento para vencer o desnível do passeio...

Estrada do Miradouro, Sobralinho

Estrada do Miradouro, uma rua com 6 predios, 46 apartamentos, todos com garagem.E este senhor insiste em meter o carro dentro da porta, mesmo com um estacionamento com 25 lugares na esquina do seu prédio.Será que lhe custa muito meter o carro no elevador e levá-lo para a cama?

Com aquelas rodas tinha que subir alguma coisa...




O Passeio Livre não quer mesmo ser só sobre o estacionamento abusivo em Lisboa, Porto e respectivos arredores. Os maus exemplos acontecem em todo o país e prestamo-nos a apresentá-los. Estamos à espera das vossas contribuições.

Caça à multa ou serviço público?

Resta acrescentar o comentário, de que o paciente na ambulância foi atropelado quando atravessava numa passadeira onde estavam carros estacionados, ou caminhava na faixa de rodagem porque o passeio estava ocupado por carros.

Lembro-me de há uns anos, ainda os Gato Fedorento não eram sobejamente conhecidos, de uma rubrica em que o "gajo da EMEL" era equiparado, em termos de malevolência, com o ditador alemão Adolph Hitler.

Hoje poucos duvidarão da relevância da existência da EMEL. Se há atritos é quanto às suas competências estarem ainda difusas. O aspecto da educação e sensibilização continua a ser fundamental.

Espreitar o vídeo aqui.

Um buraco eco... lógico

.
ESTAS FOTOS são de Abril, mas vêm aqui parar no seguimento de comentários feitos a propósito do autocarro partidário que estaciona em cima dos passeios: embora tal seja lícito para os que andam em campanha eleitoral, fica sempre o problema da danificação dos pavimentos, problema esse que aqui se documenta com fotos que ultrapassam as raias do absurdo - a reparação desta tampa da caixa-de-visita da EPAL (destruída pelos motivos que estão à vista) demorou 2 semanas!

Como curiosidade adicional (além da plantinha que um bom samaritano ali colocou para evitar que os peões tropeçassem), repare-se que a camioneta, não contente com o facto de estacionar em cima do passeio, entrou nele sabe-se lá como, pois a rua é de sentido único... da direita para a esquerda!

Finalmente: repare-se que bastaria um par de pilaretes para evitar situações destas; e, daí, a pergunta: não há por aí, algures numa autarquia qualquer, umas quantas pessoas a quem nós pagamos o ordenado para, entre outras coisas, levantarem o rabo da cadeira e resolverem estes problemas de chacha?!

Passeio Livre em debate


O colectivo 'Passeio Livre', com o intuito de chamar a atenção dos nossos autarcas para o problema dos carros estacionados em cima do passeio, para as questões da mobilidade pedonal e dos direitos do peão e de conhecer e dar a conhecer as suas propostas sobre estes assuntos, decidiu organizar um debate com as 4 principais forças políticas concorrentes à Câmara Municipal de Lisboa, cidade onde este problema se faz sentir com toda a evidência.
Será na próxima 4ª feira, às 18 horas, no Cinema S. Jorge, na Av. da Liberdade.
Os interessados em participar, coloquem já o debate na agenda. Para a semana diremos quem irá participar em nome de cada uma das candidaturas.
(No Facebook o evento está aqui. Pede-se o favor de divulgar)

A Grande Tourada



21 Set 09
Lisboa-Campo Pequeno
.
COMO O ASSUNTO do autocarro do MEP (em cima do passeio do Saldanha) deu origem a uma longa discussão, aqui fica uma nova foto do mesmo (desta vez a abrilhantar o Campo Pequeno, e acompanhado por um filhote), com um pormenor: as outras duas fotos (tal como a do post anterior, por sinal) foram tiradas exactamente na mesma altura.
Verdade se diga que nenhum estava multado - e muito bem!, pois ou há moralidade...
Lisboa - Campo Pequeno, lado Norte
Carros lado-a-lado em cima do passeio!
Lisboa - Praça dos Restauradores

Estacionamento em Lisboa: um problema político

Caríssimos,

Há algum tempo coloquei a questão às candidaturas de António Costa e Pedro Santana Lopes como se proporiam a resolver a situação do estacionamento em Lisboa, e da qual receberam cópia. Segue abaixo a resposta da Unir Lisboa.

Cps.

Exmo. Senhor Rui Dias,

Antes de mais, permita-nos um pedido de desculpas pelo atraso na resposta. A falta e o estacionamento anárquico em Lisboa são, de facto, uns dos maiores problemas da cidade. Basta recordar que Lisboa é invadida diariamente por 430.000 veículos vindos dos concelhos limítrofes. Muito resumidamente, foram avançadas algumas soluções e defendem-se outras, para o próximo mandato:

1 – Ao contrário do que se possa pensar, a Policia Municipal não possui os meios ideais nem as competências para atacar, com mais intensidade, o problema do estacionamento ilegal. Quanto a meios humanos, recorde-se que foi já neste mandato que se incorporaram 150 novos agentes, continuando a Câmara a pugnar pelo aumento do efectivo da Policia Municipal como é, aliás, do conhecimento público. Os meios materiais também não são os ideais. Apesar de durante o mandato terem sido bloqueadas mais de 60.000 viaturas e rebocadas 33.000, a verdade é que a dispersão da cidade e a multiplicação deste problema, obriga a um investimento maior nestes meios. É isso que faremos quando as conhecidas condições financeiras da autarquia assim o permitirem.

2 - É exigível que a competência em matérias de trânsito passem imediatamente da PSP para a Policia Municipal. É esta quem tem que cuidar deste problema, quem tem vocação para tal, quem conhece o terreno. E a PSP deve concentrar-se em fazer aquilo que cabe dentro da sua finalidade: a prevenção e o combate à criminalidade. Temos solicitado pública e privadamente a transmissão dessas competências (e dos meios, claro) para o Município. Recorde-se que existe uma Resolução do Conselho de Ministros que prevê esta solução.

É, por isso, necessário disciplinar o estacionamento para facilitar a vida ao peão e libertar e qualificar o espaço público.

Para tanto, é preciso implementar uma rede alargada de medidas: 1 – Criar um plano de estacionamento em zonas residenciais. Já iniciamos uma experiência na Baixa Chiado, criando bolsas de estacionamento para residentes, que queremos alargar.2 – É preciso um novo Regulamento de cargas e descargas e o desenvolvimento de um plano que explore meios alternativos de transporte de mercadorias na cidade. 3 – É obrigatório dar um novo impulso à utilização do transporte público na cidade. Por isso é que defendemos que o Município seja protagonista no planeamento das redes e sistemas de transportes estruturantes na cidade, no quadro da Autoridade Metropolitana de Transportes; Por isso apostamos na criação de um rede de eléctricos rápidos, que se articule com as linhas do Metro, com prioridade para a extensão da linha vermelha a Alcântara, Ajuda e Restelo e para a ligação Olivais/Alta de Lisboa/Lumiar/Telheiras/Carnide/Benfica; por isso é que estamos a implementar um programa de bicicletas partilhadas adequado ás características topográficas da cidade; Por isso é que estamos e queremos continuar a recuperar os elevadores e funiculares de Lisboa; Por isso é que queremos restringir a oferta de estacionamento em novos edifícios destinados ao comércio, serviços e equipamentos, junto de nós de transportes públicos pesados. 4 – É fundamental criar parques de estacionamento onde eles são mais necessários, quer com a libertação de espaços ocupados com actividades que podem estar noutro local – como o depósito da Policia Municipal em Carnide que vai ser limpo para dar lugar a um parque para cerca de 150 veículos (gratuitos para moradores) – quer pela criação de estacionamento em altura – veja-se o projecto aprovado na Câmara de ligação da Baixa ao castelo de São Jorge. Em termos muito rápidos e simples – solicitando a sua compreensão para isso mesmo – estas são algumas medidas que podem ajudar a disciplinar o estacionamento caótico de Lisboa. Esperamos consegui-lo.

Com os melhores cumprimentos Unir Lisboa

«Passeio Livre» também tem a ver com isto

Lisboa-Entrecampos
.
NA BATALHA de Aljubarrota (tal como, muito antes, Júlio César já fizera no cerco de Alésia), Nun' Álvares recorreu a algo muito semelhante ao que aqui se vê: eram as chamadas covas-de-lobo - buracos que, apesar de pouco profundos, eram capazes de perturbar a marcha dos inimigos.
A foto documenta alguns, existentes na Rua Infante D. Pedro. O que está em 1.º plano tem cerca de 40 cm de profundidade e também, à sua maneira, é bastante eficiente... para mostrar o respeito que certa gente tem pelos peões.
.
Actualização:
Um buraco tapado (e bem) é isto:

Lisboa - Av. de Roma

Pedido de ajuda aos informáticos

No fim-de-semana, deparei-me com este carro estacionado não em cima de uma passadeira ou de um passeio, mas em plena pista ciclável da frente ribeirinha.

Alguém tinha posto um autocolante destes que se imprimem directamente no blog.

O autocolante é enorme! Não há ninguém aqui do colectivo 'Passeio Livre' que possa alterar o PDF para caberem 4 autocolantes numa folha A4 em vez de ser só 1?

Alguém aqui falou em jipes?

20 Set 09
Lisboa-Rossio

O dois-em-um

HÁ UM PAR de dias, colocava-se aqui a questão: o que será mais grave - um jipe estacionar com uma ou duas rodas em cima do passeio, ou usar um espaço para deficientes? Pois bem, parece que a resposta está dada aqui...