estacionamento abusivo - mota


«E como os carros não são os únicos a abusar do que é público para seu belo prazer... Aqui está um belo exemplo de uma mota estacionada no passeio, obrigando os peões a utilizar a estrada. Por incrível que pareça, mas cada vez mais normal, porque quem anda na estrada quer a estrada e os passeios só para si, um condutor de um carro "mandou vir" com uma senhora que estava a utilizar a estrada para se desviar das barreiras que existem nos passeios!

isto, momentos depois desta foto ter sido tirada! O condutor disse qualquer coisa do tipo: "...é para andar pelo passeio..."
Esta foto foi tirada no Barreiro»

Contribuição de um leitor, 13Mai09

Estacionamento em dias de futebol

«Caros amigos,
Aqui vai mais uma modesta contribuição de um automobilista que cada vez utiliza menos o automóvel.
Ainda nem começou a partida de futebol mas os automóveis já estão a destruir tudo à volta.
Cabe perguntar o que estará errado, os jardins ou os popós? E para que servirão aquelas listas brancas na estrada?
Cumprimentos»
Contribuição de um leitor, 09Mai09





A Tripla Infracção

«Na Amadora, mais concretamente na Rua Maria Alda Barbosa Nogueira, todos os dias este e outro carro pertencentes ao mesmo agregado familiar, que se revesam, tal qual a cama de um submarino, que nunca arrefece: ora está um, ora está outro.
Ora:
Encontra-se sobre o passeio que parte serve de acesso a garagens;
Encontra-se em frente a uma outra garagem;
O passeio encontra-se traçado de amarelo.»
Contribuição de um leitor, 08Mai09




"Uma questão de civismo"






Hoje, dia 6 de Junho, havia no Largo da Igreja de Oeiras um simpático palhaço rodeado de crianças, mas havia também uma barreira de carros estacionados em pleno Largo, mesmo à beira da estrada que, há cerca de um ano, o rasgou. O que mais próximo estava da estrada - portanto, que mais gravemente tirava a visibilidade dos condutores diante de uma criança que lhes aparecesse à frente - tinha a matrícula 22-GX-29, e era da PSP. Quando ponderei com os agentes que um condutor que viesse pela estrada dificilmente teria tempo de travar antes de atingir uma criança que surgisse de trás de um daqueles carros, ouvi deles:
- "As pessoas é que têm que ter cuidado" e
- "Isso também é uma questão de civismo" (???????????????).

Alguns números interessantes

Em pouco mais de 3 meses de vida, tínhamos, às 11:35 de sexta-feira, 5 de Junho:

- 451 e-mails recebidos;
- 353 e-mails enviados
- 176 contribuições com fotografias (sempre mais do que uma por contribuição);
- 19 protestos;
- 136 pedidos de autocolantes;
- 70 735 visitas à página (826 por dia).
Não temos como saber quantos foram os autocolantes aplicados - até porque não temos como saber quantos terão sido imprimidos em casa. Mas o facto é que a nossa primeira tiragem foi de 15 mil exemplares e está quase esgotada.

Aplicaram um autocolante no seu carro? Esta mensagem é para si.

Prezado(a) concidadão(ã):

Obrigado por demonstrar interesse em conhecer as ideias que estão por trás do autocolante posto no seu carro. A ideia fundamental é de que, por maiores que sejam os seus problemas de estacionamento, não podem ser resolvidos à custa do peão nem cabe ao peão resolvê-los (compreenda que muitos dos que aderem a esta iniciativa também são condutores e sabem que é possível não estacionar nos passeios ou passadeiras).
Somos muitos, mas andávamos calados ou - porque dispersos - não nos fazíamos ouvir.
É bem possível que, se não tivesse surgido o autocolante, o seu carro estivesse hoje com um risco na pintura ou um retrovisor partido. O autocolante surge precisamente como alternativa de expressão civilizada de uma indignação que não deve ser subestimada. Não queremos impor danos a ninguém, opomo-nos clara e frontalmente a qualquer tipo de vandalismo, mas queremos que ouça a nossa indignação, que a considere, e, finalmente, que se deixe tomar por ela.
Saiba, portanto, que sempre que estacionar no passeio ou na passadeira estará a causar profunda indignação a muita gente, e a grande maioria não terá autocolantes à mão.
Colabore connosco partilhando o seu ponto de vista com os argumentos que julgar pertinentes. Somos todos ouvidos e respondemos sempre.

Passeio Livre

cruzamento em Campo de Ourique

«...diferentes dias, no mesmo cruzamento da Sampaio Bruno com a Coelho da Rocha em Campo de Ourique, uma constante - Carros na passadeira. De assinalar que o passeio foi rebaixado, não vejo muito bem com que objectivo, a não ser, ser mais fácil subi-lo com o carro»
Contribuição de um leitor, 06Mai09





"Pescado" na caixa de comentários

Falo por mim: os autocolantes estão a fazer milagres. Muito lentamente, porque há gente que só desiste ao terceiro ou ao quarto autocolante e, claro, porque há muito sítio onde colar (muito mesmo, isto é uma praga e temos tarefa para muito tempo). Mas os autocolantes estão mesmo a fazer milagres! Por isso, aos autores do blog, um agradecimento pela magnífica ideia que tiveram (este povo queixa-se muito, muito, mas olhem que lá no fundo também vos estão agradecidos). Precisamente porque os efeitos do autocolante são lentos, não podemos esperar grandes resultados a curto prazo. É preciso é não baixar os braços, porque assim é que a coisa morre. E isso depende mais de nós(continuar as colagens) do que dos autores do blogue.
É natural que o blog se vá tornando menos interessante (e repetitivo) para os que já o visitaram muitas vezes. Mas tal como está, o blog e as fotografias estão a cativar muitas novas pessoas diariamente (ainda hoje me contaram que o "descobriram"), ou seja, a angariar novos voluntários para as colagens.
De qualquer maneira, aqueles que estão cansados das fotografias que não mostram nada de novo, podem sempre arregaçar as mangas e, em vez de enviarem fotografias, enviarem sugestões de acção. Porque é que estamos sempre à espera que os outros façam tudo? Pode até ser criado um espaço próprio no blog para isso. Se houve um concurso de ideias para o autocolante...
Sem desistir do autocolante, isto podia bem evoluir (ou evoluir paralelamente) para um movimento de cidadãos, como aconteceu, por exemplo, com a Associação de Cidadãos Auto-mobilizados, que hoje tem voz e algum "poder".
Para já, faço uma sugestão. Muita gente que leva com o autocolante no carro tem a tentação de ir ver o blog. Para esses, que muitas vezes resistem mentalmente à ideia de que estão a fazer alguma coisa de negativo ao estacionar em cima dos passeios e das passadeiras (e que se querem convencer de que não têm alternativa), devia haver, na página inicial do blog, mais do que aquela "frase contestatária" do topo, que se dirige mais a "nós" do que a eles. Faríamos um melhor serviço se déssemos a essas pessoas bons argumentos para mudar a sua perspectiva e, por consequência, o seu comportamento.
JL

A nossa resposta:

Caro amigo,
O seu depoimento é todo, da primeira à última palavra, um alento importantíssimo para todos os que estão numa luta como esta, cujo fim não está nem estará tão cedo à vista. Mas há um momento de síntese: é quando diz: "Precisamente porque os efeitos do autocolante são lentos, não podemos esperar grandes resultados a curto prazo. É preciso é não baixar os
braços, porque assim é que a coisa morre. E isso depende mais de nós (continuar as colagens) do que dos autores do blogue". De facto, o blogue não é um fim em si mesmo, mas o meio de aglutinação das indignações de quem a tenha e de sensibilização dos que podem alterar os seus comportamentos. Nesse sentido, achamos óptima a ideia de fazer uma espécie de "boas-vindas" aos que chegam a nós a partir de autocolantes postos nos seus carros (já estamos a trabalhar nisso). Não nos esqueçamos de que eles são a nossa clientela, é a eles que interessa seduzir. Pensaremos também em criar ferramentas para animar outras e mais acções de forma a levar esta energia mais longe.
Grande abraço e Força!
Passeio Livre

Eleição do novo autocolante

Caros leitores,

Depois de muita polémica, alguns tropeços e uma participação extraordinária, damos por concluído o processo de eleição do novo autocolante do Passeio Livre. Ou melhor, "dos". É que, diante das críticas a todo este processo, e tentando diluir os efeitos das deformações para que leitores atentos nos chamaram a atenção (obrigado!), vamos promover a impressão de 3 autocolantes mais uma versão melhorada do nosso primeiro autocolante, para que a identidade não se perca.

Errámos e aprendemos. Sabemos também que houve "maroscas", reconhecemos que o processo deu azo a que isso acontecesse, mas também temos consciência neste momento de quais são as criticas e quais são os autocolantes menos populares. Assim decidimos eliminar o autocolante 1 porque, como muitos de vocês assinalaram, desrespeita o espírito desta iniciativa insultando os condutores.

Os autores dos autocolantes mais votados serão contactados por email com a sugestão de pequenas alterações. Com a criatividade dos autores e os vossos comentários tentaremos redesenhar alguns deles. Finalmente colocaremos à votação novamente por email para os leitores escolherem os três finalistas. O período de votação será menor e prevemos que ainda antes de Julho os novos autocolantes estejam já em circulação.

Precisamos também de voluntários para distribuição das encomendas.

Obrigado a todos,

Passeio Livre

mais do mesmo - CONTRIBUIÇÕES DE LEITORES


Praceta Fernão Lopes (faixa de bicicletas + passeio) - Oeiras


Zonas (ex-)ajardinadas à volta do CETO (Centro de Ténis) - Oeiras


Passeio em frente e à volta do stand da Citroen (Pingo Doce Av.República/Av. Dr. Francisco Sá Carneiro). Aqui foram colocados pilaretes no passeio oposto, mas por algum motivo, este stand continua incólume, utilizando-o como exposição - Oeiras


Rua Manuel Mafra - Caldas da Rainha

Praça São João Bosco em Campo de Ourique

Av Fernão Magalhães/Batalha - Porto


Praia da Rocha - Portimão

PSP - Leiria (?)
Sem necessidade - Almada

Cargas e descargas junto a uma paragem de eléctricos - Camões em Lisboa.

Os animais foram ao Zoo



Repara-se na distância entre o muro e os carros. O BMW - matrícula 06-FG-58 - obriga vários casais e as respectivas crianças deitadas no carrinho a acrobacias; não é perceptível pela fotografia mas havia também uma espécie de cadeira para crianças lá dentro: nem o facto de ter uma criança o leva a pensar nas outras.
O outro carro é da TSF. Devem ter ido fazer uma reportagem mas o seu estacionamento dava outra bela crónica.
Este cenário repete-se todos os dias e em particular ao fim-de-semana. E a polícia?

Não somos só nós!


«Aqui vai uma foto de um carro pertencente a uma senhora que anda a ser perseguida. Depois de ter sido presenteada com um autocolante do PASSEIOLIVRE, agora é a vez dos condutores dos carros do lixo, esses malandros... Sem dúvida, uma condutora exemplar!»
Contribuição de um leitor, 06Mai09

Rua Fernão Mendes Pinto, Lisboa

«Rua Fernão Mendes Pinto, em Lisboa; utilizada como atalho para fugir ao transito da Av. da Índia, logo se é para fugir ao transito é para o fazer depressa, o único pequeno inconveniente (que chatice) é a existência de 3 escolas primárias e de umas pinturas rupestres na via (passadeiras), que não se sabe bem para que servem, mas por onde umas pessoas completamente doidas ainda insistem em tentar atravessar.»
Contribuição de um leitor, 06Mai09