No fim-de-semana passado foi assim. Como será neste?




Boas,


o Passeio Marítimo de Carcavelos, onde as bicicletas foram banidas (a fazer juz ao lema: desporto em Cascais é só em Cascais), é estacionamento privado de dezenas de carros durante todos os dias, especialmente aos fins de semana, já para não falar nos passeios e canteiros à volta da praia. As imagens foram captadas no final do dia. Uma hora atrás todos os espaços estavam preenchidos por viaturas. A questão que se coloca aqui é: multas a ciclistas são mais rentáveis ou multas a carros tiram votos nas eleições?
Contribuição de um leitor

Nós, Europeus

As fotos foram tiradas junto ao centro de congressos de Lisboa (antiga FIL); nas imagens é possível ver a menos de 20 metros um parque de estacionamento enorme e com bastantes lugares vagos.

Mas é muito mais práatico parar em cima do passeio quase dentro da clínica da CUF. Sendo um estabelecimento de saúde, presumivelmente deslocam-se para lá pessoas com mobilidade reduzida. Mas elas que se lixem e usem a estrada que o umbigo deste condutor está primeiro.
Vejamos: em cima do passeio é só vantagens; fica a 5 mts do local para onde queremos ir, é grátis, basta dar 1€ ao arrumador que por lá andava, e a policia de certeza que não multa. Os peões que se lixem e usem a estrada.

A menos de 200 metros deste local existe um outro parque de estacionamento subterrâneo que tinha bastantes lugares vagos quando lá passei .

PS: na imagem 9 o carro à vista é que é de outro local, para demonstrar o portão com o sinal de proibido estacionar e a placa a dizer entrada e saída de ambulâncias; na imagem 12 dá para ver que até tem uma rampa para os carros poderem subir mais facilmente sem estragar as suspensões; na imagem 10 o condutor quase que metia o carro no local certo dentro do ecoponto para ir directo para a reciclagem.

Contributo de um leitor
Nós, Europeus...

Comentários e Comunicação

Rua Academia das Ciências

Serve esta mensagem para agradecer todos os comentadores e referir que nem sempre lemos as caixas de comentários.
Assim sendo, a melhor forma de nos contactar para:
- Partilhar histórias
- Enviar fotografias
- Pedir exemplares de autocolantes
- Voluntariar-se para colaboração mais próxima

Não são as caixas de comentários mas sim o email  


Obrigado e cumprimentos:
Passeio Livre


Andar com carrinho de bebé em Oeiras (instruções)







1º Saír para a estrada
2º Contornar os carros parados, certificar-se que não são atropelados e ganhar balanço para subir para o passeio
3º Confirmar que o espaço entre os carros e entre os carros e a parede é suficiente para passar.
Quando passei pelo local tive oportunidade de ouvir os desabafos da senhora para com outro transeunte. Gostaria que quem tomou a decisão de que não se multa os carros porque são muitos, estivesse presente no local para ver a expressão de desalento e desespero da senhora. Este é o cenário diário na Praceta Fernão Lopes (Oeiras) e ruas adjacentes o qual já foi referido em email anterior mas sem resultados práticos.

Mais uma horrível contribuição de um leitor


Caros amigos


Aqui fica mais uma preciosidade do estado em que ficam os passeios depois de toneladas de viaturas estacionarem num local concebido para o peso de pessoas. Não só o pavimento é afectado, como as beiras dos passeios, que ficam partidas, ou até, como aqui se retrata, chegam a rebentar o colector subterrâneo da água!

Oeiras...


marca o ritmo

13 minutos


Descia eu a avenida Alvares Cabral neste domingo 3 de Maio, passava já das 19 horas, quando os vi chegar.Estranhei a manobra e fiquei curioso sobre qual a ocorrência que os levaria a parquear desta forma.Vi os dois agentes da PSP, de cabeça descoberta, a fecharem as quatro janelas da viatura, a trancarem-na e a atravessarem a avenida logo ali, a escassos 20 metros dos semáforos. E fiquei ainda mais curioso, tanto mais que aparentavam um ar descontraído, não transportando consigo nenhuma pasta ou documento, o habitual aquando da comparência em ocorrências.Afinal, entraram na “Tangerina”, uma loja de conveniência, bem simpática por sinal, para tomarem um cafezinho ou equivalente.Tive eu tempo de atravessar a avenida, de fazer o registo fotográfico e de regressar onde estava. E ainda de me sentar no beiral da loja, contando o tempo da ocorrência: treze minutos.No regresso, os dois agentes ainda tentaram atravessar a avenida ao arrepio do sinal vermelho para peões. Mas a presença de transeuntes, que aguardavam pelo verde, fê-los recuar e esperar pela regulamentar informação luminosa.E lá seguiram em patrulha, onde quer que ela fosse.Não me espanta que, com exemplos destes, a cidade esteja como está no que se refere ao respeito dos automobilistas para com os peões.
foto e texto gentilmente cedidos pelo blog http://1.bp.blogspot.com